Associação Salvador – pela melhoria da acessibilidade em Portugal

No dia 2 de Agosto de 1998, Salvador Mendes teve um acidente de mota e ficou tetraplégico aos 16 anos de idade. Alguns anos mais tarde, em 2003, fundou a Associação Salvador que atua na área da deficiência e tem desenvolvido projetos diferentes e ambiciosos que tiveram excelentes resultados e tem demonstrado impacto na melhoria da integração e qualidade de vida de inúmeras pessoas com deficiência em Portugal.



Como é que a Associação vê a situação da acessibilidade em Portugal? O que houve em termos de progresso e o que ainda precisa de ser feito com urgência?

Infelizmente ainda não temos um país para todos e as pessoas com mobilidade reduzida enfrentam problemas diariamente. O problema das acessibilidades é real. É impensável que hoje em dia existam locais que não são acessíveis. Muitas vezes uma simples rampa faz toda a diferença, e muitas vezes com um investimento reduzido. Um pequeno degrau que parece que não é nada, pode ser um enorme muro para uma pessoa que se desloca numa cadeira de rodas.

O Dec. Lei nº.163/2006 obriga à eliminação de barreiras que impeçam pessoas com mobilidade condicionada de utilizar espaços públicos em condições de igualdade com os outros cidadãos. Aprovado em 2007, estipulou um prazo de 10 anos para eliminar barreiras arquitetónicas e criar as condições necessárias à não discriminação, prazo que terminou a 8 fevereiro de 2017. No entanto, Portugal ainda está longe de se atingir o cumprimento da lei e milhares de cidadãos com deficiência motora continuam a deparar-se diariamente com obstáculos que impedem a sua deslocação com normalidade. A falta de acessibilidades traz outras consequências graves para esta população, impondo barreiras à sua independência e autonomia maiores do que a própria deficiência. E o grande problema é a fiscalização, que não existe.

Este problema é de todos. E é necessário que todas as pessoas identifiquem na aplicação os locais acessíveis, não acessíveis e reclamem quando não estão em cumprimento, e sensibilizem os espaços. Porque muitas das vezes é por desconhecimento. Queremos divulgar bons exemplos e denunciar os maus exemplos e claro ajudar a construir um país mais acessível a todos. E precisamos da ajuda de todos! Muitas das vezes as pessoas só percebem o problema quando passam por ele. Mas são estes pequenos gestos de todos que faz com que consigamos mudar mentalidades e chegar mais longe.

Ao longo do tempo, a Associação tem lançado algumas campanhas de sensibilização para chamar a atenção da sociedade para o tema. Quais foram as últimas?

Nossas campanhas mais recentes foram a CrossAbility e A Reserva.
O CrossAbility – O treino mais duro de sempre” é um desporto fictício baseado nos obstáculos que as pessoas com deficiências motoras enfrentam diariamente ao tentar aceder aos espaços públicos. Inspiramo-nos no crossfit, um desporto da moda, para exemplificar as dificuldades mais comuns que permeiam o quotidiano das pessoas com mobilidade reduzida.

Com a mais nova campanha, “A Reserva”, queremos basicamente transmitir: menos desculpas, mais respeito.
Este vídeo de sensibilização descreve um exemplo que acontece regularmente: uma pessoa com deficiência reserva uma mesa para jantar, mas algo acontece. O restaurante diz ser acessível mas infelizmente o grupo chega e depara-se com um degrau impossível de transpor. O empregado ainda tenta pegar na cadeira de rodas, mas uma cadeira de rodas elétrica pode pesar 200kg, o que impossibilita esta missão. Mas também, imaginem que queriam jantar fora e tinham de ser pegados ao colo? Ninguém quer passar por esta situação, mas infelizmente as barreiras existem e o nosso país ainda não é acessível a todos.

Além das campanhas, foi lançado também uma aplicação com ótimos resultados, certo?

O problema das acessibilidades é um dos fatores mais importantes quando falamos em integração social de pessoas com deficiência. Para combater este problema, a Associação Salvador lançou a aplicação que se chama + Acesso Para Todos.
A aplicação “+ Acesso Para Todos” tem como objetivo envolver e sensibilizar toda a sociedade para a temática das acessibilidades. Agora é possível classificar todos os locais a nível de acessibilidades. Caso um local não seja acessível é possível fazer uma reclamação que é enviada diretamente para as entidades responsáveis pela fiscalização, o Instituto Nacional para a Reabilitação e as respetivas Câmaras Municipais. Esta aplicação é muito fácil de utilizar e já muitas vezes considerada o TripAdvisor das acessibilidades.
E os resultados têm ido para além do espectável. Contamos com mais de 1600 avaliações e mais de 1300 utilizadores. O número de reclamações quadruplicou os valores de 2016 em apenas 3 meses.

  

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...