Aves do rio ingerem até 200 pedaços de microplástico diariamente

Esta descoberta, feita por investigadores do Reino Unido, é uma das primeiras a seguir o plástico através da cadeia alimentar de água doce.

Um novo estudo examinou como os microplásticos viajam através da cadeia alimentar de água doce. É sabido que os animais encontram plásticos em ambientes marinhos e em terra, mas pouco se sabe sobre como os pequenos pedaços de plástico (medindo 5 mm ou menos) entram nos seus corpos. Para descobrir mais, cientistas da Universidade de Cardiff, no País de Gales, no Reino Unido, examinaram pássaros chamados mergulhadores, que caçam insetos subaquáticos e pequenos peixes caminhando ou mergulhando em rios de água doce.

Os mergulhadores há muito são considerados uma das principais espécies de indicadores ambientais nos cinco continentes.
“As cinco espécies Cinclus estão restritas a rios de alta velocidade, no Piemonte ou em rios montanos, onde ocupam um nicho altamente especializado, alimentando-se quase exclusivamente de presas de invertebrados aquáticos”, indica o início do estudo.

Sabe-se que os microplásticos ocorrem em grandes quantidades nos invertebrados aquáticos em que os mergulhadores dependem para comer, por isso pareciam “um modelo adequado para avaliar a transferência de plástico nos níveis tróficos”.

Neste caso, os investigadores analisaram pellets e excrementos regurgitados e descobriram que aproximadamente metade das 166 amostras colhidas em adultos e filhotes em 14 dos 15 locais estudados continha fragmentos de microplásticos. As concentrações eram maiores nas áreas urbanas e pareciam vir de tecidos sintéticos (95% eram fibras) e resíduos de construção. Com base nisso, os cientistas estimam que os mergulhadores estão a consumir até 200 fragmentos microplásticos por dia, enquanto procuram a dieta habitual, e que eles já estão presentes nos corpos dos organismos que os mergulhadores estão a caçar.

Um dos autores do estudo, Joseph D’Souza, disse à BBC: “O facto de tantos insetos estarem contaminados torna inevitável que peixes, pássaros e outros predadores apanhem essas presas poluídas – mas é a primeira vez que isso acontece. O tipo de transferência através das redes alimentares foi demonstrado claramente em animais fluviais de vida livre “.

Parece que os fragmentos passam rapidamente pelas aves, pois as quantidades encontradas na matéria fecal eram semelhantes às que os investigadores pensavam que estavam a ser ingeridas, mas há preocupação com os possíveis contaminantes que poderiam ser introduzidos no corpo das aves por esses plásticos, bem como uma sensação artificial de saciedade.

Steve Ormerod, professor do Instituto de Pesquisa da Água da Universidade de Cardiff, expressou consternação com as descobertas.

“Esses pássaros icónicos, os mergulhadores, estão a ingerir centenas de pedaços de plástico todos os dias. Em quase 40 anos a investigar rios e mergulhadores, nunca imaginei que um dia o nosso trabalho estivesse realizado. Isto revela que estas aves espetaculares correm risco com a ingestão de plásticos – uma medida de como esse problema de poluição nos atingiu “, indicou o especialista ao EcoWatch.

Esperamos que isto ajude as pessoas a pensar sobre a poluição plástica nos animais selvagens perto de casa. Muitas vezes, a cobertura noticiosa que vemos concentra-se em animais marinhos exóticos, como uma baleia que ingeriu muito plástico, uma tartaruga marinha com uma palhinha no nariz, um cavalo marinho a segurar um cotonete. Isto perpetua a noção de que a contaminação desenfreada de plástico por toda a cadeia alimentar está a acontecer em outro lugar, distante, e ainda assim está nos nossos próprios quintais.

Este estudo junta-se ao crescente corpo de evidências de que o plástico é insidiosamente difundido, de que não para em nenhum nível da cadeia alimentar, mas continuará a acumular-se biologicamente, comprometendo a saúde de todas as espécies. A única solução é interromper a produção supérflua de plástico na fonte, limitar o uso de plásticos descartáveis ​​e optar por reutilizáveis ​​sempre que possível.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...