Bactérias transgénicas podem facilitar limpeza de águas poluídas com mercúrio

Um estudo da Universidade Interamericana de Porto Rico afirma que as bactérias transgénicas, que suportam altas doses de mercúrio, podem ajudar na limpeza de águas contaminadas com mercúrio, um metal muito tóxico para humanos e animais e que pode entrar na cadeia alimentar.

O estudo foi coordenado por Oscar Ruiz, que considera que as bactérias transgénicas criaram “uma alternativa” às dispendiosas técnicas de descontaminação que são hoje adoptadas.

O estudo pode ser consultado aqui (há também um link para ver as conclusões na íntegra, em PDF).

De acordo com a equipa de investigadores, as bactérias transgénicas são capazes de proliferar numa solução que contém 24 vezes a dose de mercúrio que é considerada mortal para as bactérias não resistentes. Por outro lado, estas bactérias podem também absorver, em cinco dias, 80% do mercúrio contido no líquido.

Segundo a AFP, os cientistas acreditam que este é o primeiro estudo que prova que a metalotieneína “garante uma resistência ao mercúrio e permite a sua acumulação na bactéria”.

Deste modo, o mercúrio recuperado pelas bactérias nas áreas contaminadas poderia ser utilizado em novas aplicações industriais. “Temos ideia que [esta solução] pode funcionar”, explicou Oscar Ruiz à AFP.

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), a indústria química e da mineração verte 6.000 toneladas de mercúrio no meio ambiente.

Deixar uma resposta

Patrocinadores