Bruxelas investe 122 milhões de euros em 47 projetos para descarbonizar a economia



A Comissão Europeia anunciou hoje a mobilização de 122 milhões de euros para 47 projetos europeus destinados a investimentos em energias alternativas e menos poluentes, com vista à descarbonização da economia, dois dos quais são portugueses.

“Pela primeira vez desde a criação do Fundo de Inovação, a União Europeia investe 118 milhões de euros em 32 pequenos projetos inovadores em 14 Estados-membros da União Europeia [UE], na Islândia e na Noruega”, anuncia o executivo comunitário em comunicado.

Em causa estão, desde logo, subvenções que apoiarão “projetos destinados a introduzir tecnologias hipocarbónicas em setores com utilização intensiva de energia e nos setores do hidrogénio, do armazenamento de energia e das energias renováveis”, acrescenta a instituição.

Além das subvenções, o investimento agora anunciado abrange “uma ajuda ao desenvolvimento de projetos no valor máximo de 4,4 milhões de euros, cujo objetivo é contribuir para a sua maturação”, num total de 15 projetos abrangidos em 10 Estados-membros da UE e na Noruega.

Ao abrigo da primeira categoria, Bruxelas selecionou um projeto da portuguesa Navigator para conversão de fábrica de celulose de gás natural para biomassa, enquanto para a segunda escolheu um outro da empresa Hyperion Energy Investments dedicado ao hidrogénio verde.

A agência Lusa contactou a Comissão Europeia para saber mais informações sobre ambos os projetos, nomeadamente sobre qual o apoio comunitário alocado a cada, mas ainda não obteve resposta.

No caso do projeto da Navigator, a ficha técnica disponibilizada por Bruxelas indica que “o objetivo do projeto é reduzir as emissões diretas de gases com efeito de estufa provenientes do forno de cal da fábrica de celulose”, tendo em vista reduzir em 76% a emissão de gases de efeito estufa.

Para tal, “será concebido e construído um queimador rotativo à escala piloto e as suas linhas e equipamento de alimentação de pó de madeira, a fim de permitir uma mudança de combustível para resíduos de madeira 100% dura (serradura de eucalipto) e madeira macia (‘pellets’), substituindo o atual gás natural queimado no forno de cal da fábrica de pasta de papel existente”, precisa.

Já o projeto da Hyperion Energy Investments visa “fornecer hidrogénio verde a um sítio industrial local apoiado pela geração fotovoltaica e por um sistema de baterias”, segundo a ficha técnica também facultada por Bruxelas à imprensa.

Citado pela nota, o vice-presidente executivo da Comissão Europeia Frans Timmermans assinala que, devido ao investimento hoje anunciado de 122 milhões de euros, “a UE está a dar um apoio concreto a projetos de tecnologias limpas em toda a Europa, a fim de intensificar o recurso a soluções tecnológicas que possam ajudar a alcançar a neutralidade climática até 2050”.

Os projetos selecionados, no âmbito do convite à apresentação de propostas, terão até quatro anos para utilizar as verbas comunitárias alocadas.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.