C&A torna-se neutra em emissões de carbono na Península Ibérica

Para além de compensar as emissões de carbono das suas lojas, a empresa compromete-se a reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 30% até 2030.

A marca de moda C&A deu mais um passo na sua estratégia em termos de sustentabilidade e anunciou um plano para compensar as emissões de carbono das suas 115 lojas na Península Ibérica.

Para colocá-lo em marcha, a marca calculou todas as emissões de CO2 que gera enquanto empresa nas suas lojas e escritórios (desde sistemas de aquecimento à eletricidade até aos trajetos de deslocação para o local de trabalho dos funcionários).

O projeto, englobado dentro da estratégia de sustentabilidade da marca, é levado a cabo em conjunto com a Climate Partner, a consultora líder em proporcionar soluções corporativas que visam a proteção do clima. O processo de compensação de carbono baseia-se no facto de os gases de efeito estufa se distribuírem pela atmosfera de forma uniforme, pelo que a concentração destes gases é semelhante em todo o mundo. Por esta razão, as emissões que não podem ser evitadas localmente podem ser sê-lo com projetos globais de compensação de carbono.

Neste caso, o projeto baseia-se na transformação de campos degradados da cidade de Guanaré, no Uruguai, em florestas úteis (https://climatepartner.com/1184). Esta reflorestação tem a verificação VCS (Verified Carbon Standard) e está validado pela Rainforest, permitindo acumular cerca de 7 milhões de toneladas de CO2 durante todo o projeto (mais de 127.000 por ano).

A reflorestação ajuda a combater o aquecimento global de várias maneiras. Uma delas é por meio da silvicultura sustentável, que permite a cultivação de espécies indígenas de rápido crescimento. Por outro lado, também fornece sombra e melhora o solo, favorecendo a criação de habitats para espécies de animais e plantas, que entretanto foram prejudicadas pela extração ilegal de madeira e outras atividades de caça furtiva.

Domingos Esteves, diretor geral da C&A para a Península Ibérica, acrescenta: “Este projeto piloto lançado em Espanha e Portugal faz parte da estratégia global de sustentabilidade da nossa empresa. A C&A assumiu o compromisso de tornar a sustentabilidade a norma. Não apenas através das coleções, que oferecem produtos amigos do ambiente, mas também através da cadeia de valor e das operações.”

Até 2030, a C&A reduzirá as emissões de gases de efeito de estufa em 30%, também na cadeia de produção

Este anúncio insere-se no Plano de Responsabilidade Social Corporativa (RSC) da empresa, que também inclui o compromisso de, até 2030, reduzir em 30% os gases de efeito estufa. A medida abrange tanto a sua cadeia de produção como fábricas e lojas, por meio do uso e fornecimento de materiais mais sustentáveis e da gestão responsável do desempenho ambiental de sua cadeia de fornecimento.

C&A luta para conseguir que toda a energia usada seja 100% renovável

Entre outras iniciativas importantes, a C&A tem como objetivo melhorar a eficiência dos seus processos, fazendo com que toda a eletricidade consumida seja proveniente de fontes renováveis, pretendendo garantir que até 2025 toda a sua energia seja 100% renovável. Essas importantes medidas que favorecem a proteção do meio ambiente fazem com que a C&A seja reconhecida como uma das poucas marcas que há 5 anos divulga todo o seu inventário de gases de efeito estufa.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...