Califórnia legaliza compostagem de restos humanos



O Governador da Califórnia Gavin Newsom assinou um projeto lei que permite a compostagem de restos humanos. A medida visa reduzir os impactos ambientais causados pelos métodos tradicionais de enterro, nomeadamente a cremação que, atualmente, é responsável por mais de metade dos enterros no estado.

A lei assinada no domingo permite agora a redução orgânica natural (NOR), um processo através do qual os restos humanos são naturalmente decompostos em solo.

“Com as alterações climáticas e a subida do nível do mar como ameaças muito reais ao nosso ambiente, este é um método alternativo de disposição final que não contribuirá com emissões para a nossa atmosfera”, disse Garcia numa declaração, citado pelo “The Guardian”.

O processo de composição é feito colocando o corpo numa caixa de aço de oito pés de comprimento com alguns outros materiais biodegradáveis, como a madeira. O corpo permanece durante cerca de 30 a 60 dias e sofre a decomposição antes de ser devolvido aos familiares.

A Califórnia torna-se no quinto estado a legalizar a compostagem humana, seguindo os passos de Washington, Vermont, Colorado e Oregon. A mudança é necessária devido à crescente procura de tais serviços nos últimos anos.

Embora alguns tenham acolhido a lei, nem todos estão satisfeitos com a mudança. A Conferência Católica da Califórnia criticou esta alteração, afirmando que ela diminui a dignidade humana.

O custo da compostagem varia entre $5000 a $7000, semelhante ao preço do enterro em caixão e da cremação na Califórnia.

 

 

 

 

 

 

 

 



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.