Centenas de camarões girino com três olhos emergiram no Arizona

No parque nacional onde se encontra o Monumento Nacional de Wupatki, no Estado do Arizona, os guardas florestais depararam-se com uma visita inesperada e incomum. Centenas de camarões girino (Triops longicaudatus) tinham eclodido num pequeno lago formado pelas chuvas da época, no fim do mês de julho.

Após vários relatos de turistas de que existiam girinos naquele lago, os profissionais dirigiram-se à área para observar, pensando que se tratavam de girinos de sapos. Quando se depararam com a espécie ficaram inicialmente confusos, mas a guarda Lauren Carter já tinha conhecimento da espécie após ter trabalhado no Parque Nacional da Floresta Petrificada, pelo que conseguiu perceber do que se tratava, relata recentemente ao Live Science.

Os camarões girino são uma espécie de crustáceo de água doce com três olhos – um deles naupliano -, que medem entre 10 e 40 milímetros. São conhecidos como “fósseis vivos” por existirem há mais de 350 milhões de anos, e pelo facto da sua morfologia externa se manter idêntica após tantos anos. Embora a espécie possa viver até 90 dias, este girinos viveram apenas cerca de três a quatro semanas no Monumento, devido aos predadores.

“Eles têm uma adaptação muito especializada que permite que os seus ovos sobrevivam completamente secos por longos períodos de tempo. Estas pequenas criaturas de caranguejo ferradura esperam até que uma poça de água permaneça tempo suficiente para os ovos eclodirem”, explica a equipa em comunicado. “Os Triops são apenas mais um exemplo de como mesmo nas condições mais duras, a vida encontra um caminho”.


Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.