Centro de Estudos da Universidade de Coimbra lidera projeto europeu sobre ecologia



O Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra vai coordenar nos próximos quatro anos o consórcio internacional do projeto europeu sobre o Pacto Ecológico Europeu (EGD), que envolve 15 entidades.

O projeto europeu “PHOENIX – Ouvindo as vozes cidadãs por uma Europa mais Verde”, financiado pela Comissão Europeia em cinco milhões de euros, terá início no último trimestre deste ano, refere um comunicado do CES enviado à agência Lusa.

“O PHOENIX procurará produzir novos conhecimentos sobre as abordagens metodológicas participativas para o EGD divulgados além do espaço académico, estando prevista a produção de recomendações políticas, de ‘podcasts’ ou ainda de documentários dirigidos ao público em geral”, salienta a nota.

O consórcio integra 15 entidades sediadas em Portugal, França, Espanha, Itália, Hungria, Estónia, Países Baixos, Bélgica, Islândia e Reino Unido, entre as quais instituições académicas que realizam investigação na área da participação e ambiente, grupos de psicólogos, organizações peritas na implementação de processos participativos, comunicação de ciência, e no desenvolvimento de tecnologia para promover práticas participativas, além de parceiros da sociedade civil.

A transição ecológica proposta no EGD “é o maior desafio que a Europa enfrenta neste século, exigindo um esforço coletivo na harmonização de práticas entre os vários Estados membros”, destaca o CES, realçando que o projeto PHOENIX encara a participação dos cidadãos “como pré-condição para o sucesso na definição de políticas ambientais”.

Nessa perspetiva, o projeto propõe analisar o legado das últimas décadas de conflitos e experimentações para reconstruir princípios e mecanismos de participação aplicada a temas ambientais complexos, à luz dos objetivos do EGD, “passando por incluir um amplo espaço de trabalho com as novas gerações e por encontrar formas eficazes de recuperar relações com os diferentes movimentos ‘negacionistas'”.

Dos cerca de cinco milhões de euros de financiamento do projeto, 1,3 milhões de euros destinam-se a Portugal, onde três instituições adicionais integram o consórcio coordenado pelo CES: a empresa ONESOURCE, a Associação Oficina de Planeamento e Participação e o Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra.

No território nacional, está previsto que a Câmara de Odemira, bem como os processos de Orçamento Participativo Nacional e Jovem do Governo de Portugal sirvam como experiências-piloto para a implementação de metodologias a ser apuradas pelo consórcio PHOENIX.

A equipa de investigação do CES é coordenada por Giovanni Allegretti (investigador principal) e integra Irina Velicu, Sheila Holz, Ana Teixeira Melo, Mónica Lopes e Giacomo d’Alisa, apoiados por um Conselho Científico Internacional.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.