Vermelho e pequeno, este animal não parece mas é um panda. E está em perigo de extinção

De tamanho pequeno e cara que faz lembrar um pequeno gato, os pandas-vermelhos apenas existem em áreas montanhosas isoladas das florestas asiáticas.
Não se sabe ao certo quantos pandas-vermelhos existem, mas a WWF estima que existam menos de 10.000 espécimes na natureza.

Os pandas vermelhos são membros da família Ailuridae. O zoólogo francês Frédéric Cuvier descreveu o panda-vermelho em 1825, 48 anos antes da classificação do panda gigante. Dizendo que era o animal mais bonito que já tinha visto. Foi chamado Ailurus, que significa “gato cor de fogo”.

Os pandas vermelhos vivem apenas em pequenos territórios montanhosos no Butão, China, Índia, Mianmar e Nepal. Num estudo genético feito este ano, os cientistas descobriram que os pandas-vermelhos chineses e os pandas-vermelhos dos Himalaias eram duas espécies distintas. Estes especialistas indicaram que o panda-vermelho do Himalaia precisa de proteção mais urgente devido à sua menor diversidade genética e menor tamanho da população.

A perda de habitat é a principal ameaça à sobrevivência do panda-vermelho. O crescimento humano na área, combinado com as alterações climáticas, levou à fragmentação e perda de terras habitáveis. Além disso, o panda-vermelho enfrenta os perigos da caça furtiva.

Os pandas-vermelhos vivem em florestas de alta altitude, onde preferem estar perto da água. São mais ativos ao entardecer e ao amanhecer e dormem a maior parte do dia.

Cerca de 98% da dieta de um panda-vermelho é bambu. Mas, ao contrário dos pandas gigantes que comem quase todas as partes da planta, os pandas-vermelhos são exigentes e só comem as partes ricas em nutrientes das folhas e os brotos saborosos e macios.

Desastres naturais, como deslizamentos de terras, inundações, ciclones, neve e chuvas intensas têm vindo a destruir o seu habitat. Os incêndios e a proliferação de espécies de plantas invasoras também têm contribuido para que o espaço destes pequenos pandas seja cada vez menor.

A IUCN relata que a caça ilegal e o contrabando estão a aumentar, os caçadores levam os animais pela sua pele e carne distintas. A WWF indica que chapéus de pele de panda vermelho foram encontrados à venda no Butão.

Embora o panda vermelho esteja em perigo, estão a ser tomadas medidas para salvar as espécies e o seu habitat. Segundo a IUCN, a China tem 46 áreas protegidas, cobrindo cerca de 65% do habitat da espécie no país. Existem pelo menos 19 áreas protegidas na Índia, cinco no Butão e três em Mianmar.

A Red Panda Network é uma organização sem fins lucrativos que protege os pandas vermelhos e o seu habitat. A associação trabalha com grupos da comunidade local para estabelecer corredores da vida selvagem, treinam “guardiões da floresta” para aumentar a consciencialização sobre os pandas vermelhos e trabalham com os locais para estabelecer áreas protegidas.

A WWF, por seu lado, também tem em marcha trabalhos e pessoas a tentar proteger os pandas-vermelhos, estando presente no Nepal, Butão e Índia com campanhas de informação, e procura ativamente alternativas à destruição do habitat destes pandas junto das populações locais.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...