Os dados dão que pensar: a roupa usada é um dos tipos de resíduos com percentagem de valorização mais alta. No entanto, apenas 4.3% é recolhido de forma selectiva das 195 mil toneladas de roupa que os portugueses deitam fora num ano, de acordo com os dados do PERSU (Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos).

No Dia Mundial da Reciclagem, que se celebra no próximo dia 17 de Maio, partilhamos um dos melhores exemplos de como a roupa usada e a reciclagem podem tão bem andar de mãos dadas: a associação Humana. Mas como está a Humana a contribuir para um mundo mais sustentável? “Com a reciclagem e reutilização, contribuímos activamente para a proteção do meio ambiente; alargamos a vida útil dos produtos e, quando esta termina, reintroduzimo-la no mercado seguindo o modelo da economia circular; reduzimos as emissões de gases de efeito de estufa, responsáveis pelas alterações climáticas; criamos novos postos de trabalho no “sector verde”, explicam.

Medidas recentes definidas pela União Europeia (EU) estabeleceram uma estratégia para os Estados-Membros impulsionarem os mecanismos que, em breve, permitirão aos municípios, responsáveis pela gestão dos resíduos, contemplarem a recolha selectiva da roupa usada, medida essa que será obrigatória em 2025. Esta medida promove a reciclagem e a reutilização da roupa e do calçado. 

Também em Fevereiro deste ano, a EU decidiu aumentar a percentagem de resíduos municipais que devem ser reciclados de 44% para 55% a partir de 2025, uma das medidas do pacote de acções para melhorar a gestão de resíduos. De acordo com o Relatório de Estado de Ambiente de 2017, em Portugal apenas 38% dos resíduos urbanos são submetidos à preparação para reutilização e reciclagem, assim que há ainda um longo caminho a percorrer para alcançar o objectivo óptimo. 

“Considerando que apenas 1 em cada 23 peças de roupa são recuperadas por um gestor autorizado para reutilização ou reciclagem, para chegar à percentagem imposta por Bruxelas, é necessário aplicar um conjunto de medidas: adoptar medidas legislativas, aumentar acções de sensibilização e consciencialização, reforçar a transparência do sector de gestão de resíduos e facilitar meios de depósito de doações em contentores apropriados aos cidadãos”, alerta a Humana em comunicado.

“9 em cada 10 peças de roupa usadas são passíveis de ter uma segunda vida através da reutilização ou reciclagem. Passar de um modelo de economia linear para circular é indispensável para a sustentabilidade da indústria da moda e do planeta”, alerta a associação Humana.

Em 2017, a Associação Humana recolheu 3.347 toneladas de roupa usada. 

Foto: