Conheça a autarquia portuguesa que vai acabar o ano sem dívidas

A vila de Santa Marta de Penaguião, no distrito de Vila Real, vai fechar o ano de 2010 sem uma única factura a pagar a fornecedores e empreiteiros. E sem subsídios a colectividades ou transferências para as juntas.

O presidente da Câmara de Santa Marta de Penaguião, Francisco Ribeiro disse à Lusa que esta era a primeira vez que o município termina o ano “sem dever um cêntimo”.

Ribeiro, há 25 anos na autarquia, diz que o segredo está no “rigor, na dedicação plena ao trabalho, na rentabilização ao máximo dos tostões” e na inexistência de “gastos supérfluos”.

“Sei diariamente o que a câmara deve e estão reunidas as condições para que, mesmo que entre um ou outro auto ou factura nos últimos dias, terminar o ano sem dever nada a ninguém”, conta o autarca.

Sendo um “caso único” na região e “raro” em Portugal, a questão que se coloca é: como conseguir uma gestão destas?

Francisco Ribeiro diz que esta situação financeira se consegue com um “controlo” das despesas com o pessoal. “Os 120 funcionários são suficientes para a actividade do município”, referiu.

Os maiores gastos foram as várias obras em curso no concelho – estradas, mercado municipal ou quartel dos bombeiros – tendo a autarquia também “gastos muito fortes” com a água, recolha e tratamento de resíduos sólidos, transportes e refeições escolares.

Em 2010, Santa Marta de Penaguião dispôs de um orçamento de 12,9 milhões de euros para despesas correntes, capital e obras. No próximo ano, o autarca quer lançar uma obra emblemática para o concelho – a última do actual quadro comunitário: a construção de uma estrada de ligação à Régua, pela zona do Rodo.

Considerando que 2011 será “muito complicado”, Francisco Ribeiro garantiu que há sectores que irão continuar a ter uma atenção especial por arte da autarquia, como a acção social e o apoio a crianças e idosos.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...