Couro vegan. Será esta alternativa uma melhor solução para o planeta?



Às vezes, tentar decifrar o que é bom para nós e para o planeta é confuso e inconclusivo. E esta dúvida é válida também para o couro vegan. O que pode parecer óbvio às vezes não é bem assim.

Um estilo de vida vegan vai para além de evitar produtos de origem animal na alimentação. Práticas estritamente veganas também evitam roupas, utensílios domésticos ou demais produtos que incluam ingredientes de origem animal.

Este estilo de vida além de se preocupar com o bem-estar animal, também tem presente que a indústria pecuária é uma das mais poluentes e causadora de imensas emissões de carbono.

Por estas razões, os consumidores com os animais e o planeta em mente acham os rótulos vegan atraentes. Mas é importante entender que, embora todas as alternativas ao couro beneficiem os animais, poucas realmente beneficiam o planeta. Portanto, a questão é se o couro vegan é realmente uma opção sustentável.

O couro tradicional vem das peles de certos animais. O processo de curtição que converte a pele em couro utilizável para produtos exige toneladas de água. Além disso, os resíduos de fabrico são tóxicos.

Por outro lado, o couro vegan não contém produtos de origem animal. O que é bom para os animais e para a terra onde são criadas.

No entanto, só porque é vegan, não significa que seja amigo do ambiente. Na verdade, a grande maioria do couro vegan vem de plástico à base de petróleo na forma de um polímero termoplástico, poliuretano (PU) ou couro de cloreto de polivinila (PVC).
Ambos são maus durante a produção e podem ser prejudiciais durante a utilização, assim como poluir a água e o solo no final da sua vida útil.

No entanto, o couro à base de plástico tem um impacto de um terço da quantidade de produção de couro tradicional.

O couro plástico não é apenas uma alternativa desagradável, mas na verdade é um material de qualidade inferior ao couro real. Isto significa que acaba no aterro muito mais rápido do que o couro real, contribuindo para o que basicamente equivale ao desperdício da “fast fashion”.

Mas existe uma opção viável e sustentável quando se trata de couro vegan. O couro à base de plantas. Em vez de adquirir produtos à base de petróleo, o couro à base de plantas é feito de materiais naturais, incluindo maçã, cogumelos, milho, manga, ananás e catos. O couro à base de plantas depende de materiais residuais, fazendo uso de partes de plantas que, de outra forma, seriam descartadas.

A coisa mais importante que os consumidores podem fazer é informar-se antes de comprar. O greenwashing é comum, por isso não é surpreendente que às vezes seja difícil tomar uma decisão fundamentada. Se já está habituado a procurar produtos vegan, procurar uma alternativa de couro sustentável é muito mais fácil. No entanto, requer mais um passo.

Terá que descobrir a fonte do material alternativo para proteger o meio ambiente também. Procure uma declaração de sustentabilidade no site do fabricante. A transparência é fundamental neste processo. Mesmo a frase “à base de plantas” pode significar que contém alguns materiais provenientes de plantas, mas também pode incluir PU ou PVC.

Os produtos que promovem a biodegradabilidade são provavelmente uma boa opção. Embora o processo de conversão de plantas numa alternativa de couro torne o material durável o suficiente para utilização a longo prazo, ainda permite que este se decomponha naturalmente quando chega ao aterro sanitário. Certifique-se de ler a lista de materiais para corantes à base de plantas e colas não tóxicas.

Então, o couro vegan é realmente sustentável? A resposta é: depende. Mas agora que conhece as suas opções pode selecionar o mais eco-friendly.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.