CTT e To-Be-Green já reciclaram 23 mil máscaras descartáveis



Em menos de um ano, já foram recolhidas e encaminhadas para reciclagem 23 mil máscaras descartáveis, no âmbito de um projeto entre os CTT – Correios de Portugal e a To-Be-Green – uma spin-off da Universidade do Minho. Este cerca de 70 quilos de máscaras de proteção foram posteriormente transformadas através de um processo químico num material resistente, que está a ser utilizado para a criação de novos produtos, dando-lhes assim uma nova vida.

Nascido em julho de 2021, o projeto foi inicialmente implementado nos Centros de Produção e Logística dos CTT de Cabo Ruivo e da Maia e no Centro de Logística e Distribuição de Taveiro, tendo sido depois alargado à sede da Empresa, em Lisboa, e ainda a dois centros de operações Expresso, o MARL e a Perafita. Foram disponibilizados contentores para os colaboradores depositar as máscaras usadas, para que mais tarde fossem recolhidas e transformadas.

Os primeiros produtos surgiram logo em dezembro, na época natalícia, com a produção de pequenos enfeites para a árvore de Natal. A mais recente criação são os cabides, produzidos a 100% com material reciclado e outros produtos usados nas operações dos CTT.

A iniciativa é apadrinhada pelo Ministério do Ambiente e da Ação Climática e pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), e tem como objetivo a redução do impacto ambiental associado à utilização das máscaras de proteção contra a COVID-19, impedindo que as mesmas sejam descartadas ou que vão parar ao aterro, garantindo assim a sua correta deposição e posterior transformação.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.