Dados de satélite de 293 cidades confirmam que as árvores arrefecem as zonas urbanas



As árvores urbanas influenciam as temperaturas das cidades, mas quanto e em que contextos climáticos? Agora, um estudo descobriu que as áreas urbanas europeias que têm árvores são aproximadamente 2 a 4 vezes mais frias do que os espaços verdes urbanos sem árvores.

Esta é a principal conclusão de um trabalho liderado pela Escola Politécnica Federal Suíça (ETH) de Zurique, realizado com base em dados de satélite sobre as temperaturas da superfície terrestre e a cobertura vegetal de 293 cidades europeias.

Liderados por Jonas Schwaab, os autores explicam no seu artigo na revista Nature Communications que, embora as árvores sejam conhecidas por influenciar as temperaturas, a sua eficácia na mitigação do calor urbano em diferentes contextos climáticos e em comparação com os espaços verdes urbanos “não foi estudado o suficiente”.

Assim, com base em dados de alta resolução, os investigadores queriam com esta análise inferir o potencial das árvores urbanas para alcançar cidades mais frias e para isso compararam as diferenças de temperatura entre áreas urbanas com árvores, espaços verdes urbanos sem plantas e áreas construídas .

Além disso, calcularam as diferenças de temperatura da superfície da terra entre pastagens rurais, florestas rurais e áreas construídas, também conhecidas como tecido urbano.

Os autores descobriram que os espaços verdes urbanos sem árvores são geralmente menos eficazes na redução da temperatura da superfície da Terra e o seu efeito de arrefecimento é aproximadamente 2 a 4 vezes menor do que o induzido pelas árvores urbanas.

Por outro lado, mostraram que essas plantações urbanas apresentam temperaturas mais baixas do que as do tecido urbano na maioria das cidades europeias no verão e durante o calor extremo; essa diferença é especialmente alta nas cidades da Europa central.

O arrefecimento nas diferentes estações também mostra um claro padrão regional.

Em cidades do sul da Europa, como Córdoba (Espanha), e na Turquia, como Gaziantep e Antalya, o arrefecimento na primavera é maior do que no verão (ou bem próximo). Nas cidades europeias em todas as outras regiões, o arrefecimento é maior durante o verão.
O arrefecimento durante o outono é menor em todas as cidades e regiões, em comparação com o arrefecimento no verão e na primavera.

As diferenças de temperatura entre as florestas rurais e o tecido urbano assemelham-se muito às diferenças de temperatura entre as árvores e o tecido urbano, mas existem algumas diferenças notáveis, de acordo com os autores.

Por exemplo, as árvores urbanas reduzem as temperaturas da superfície mais do que as florestas rurais nas regiões da Europa Central; no entanto, o oposto acontece na Turquia.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.