Desastres associados ao clima aumentaram 9% nos últimos dez anos, alerta ONU

As alterações climáticas não estão apenas a afetar o Planeta, estão a afetar a vida humana e natural; Estão a prejudicar os ecossistemas, as espécies, os recursos alimentares, e a criar novos riscos para a humanidade difíceis de combater.

Segundo o mais recente relatório da Organização das Nações Unidas, os desastres ligados ao clima aumentaram 9% num espaço de 10 anos, e entre 1970 e 2019, corresponderam a 79% dos acontecimentos.

De acordo com outro relatório da Estratégia Internacional de Redução de Desastre das Nações Unidas, entre 2000 e 2019 registaram-se 7.348 desastres, sendo que 6.681 estiveram ligados ao clima, afetando 4 mil milhões de pessoas. Comparativamente aos 20 anos anteriores pode-se observar um grande aumento, dado que se se registaram cerca de 3.656 desastres climáticos.

Dentro desta categoria, registaram-se em 2019 desastres como ciclones, incêndios, cheias e ondas de calor. As perdas económicas ligadas a estes eventos foram cerca de 195,68 mil milhões de euros.

O relatório aponta como exemplo das graves consequências destes desastres os incêndios na Austrália, que vitimaram mais de mil milhões de animais e trouxeram graves consequências para a biodiversidade.

Miroslav Jenča, secretário-geral adjunto da Europa, Ásia Central e Américas,  dá o exemplo de outro risco derivado destes acontecimentos: “A emergência climática é um perigo para a paz. Não existe uma ligação direta entre a mudança do clima e o conflito. Mas a mudança do clima exalta os riscos existentes e cria novos. E as consequências variam de região para região.” Neste contexto, exaltam-se problemáticas como a escassez de recursos naturais e a mobilização da população para outras localidades.

Mami Mizutori, representante especial do secretário-geral da ONU para a Redução do Risco de Desastres, explicou ao Independent “Nenhum país do planeta está imune ao aumento dos desastres relacionados com o clima. É importante que tenhamos uma abordagem integrada que reconheça a natureza do risco e como o clima interage com outros fatores de risco, incluindo a pobreza, a crescente urbanização, a degradação ambiental e o uso da terra.”

 

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...