com o apoio
em modo Escuro poderá poupar até 30% de energia. Saiba mais

Dia Mundial da Saúde: “é um direito e não um privilégio” sublinha OMS

Hoje é o Dia Mundial da Saúde, uma data que marca a primeira Assembleia de Saúde da Organização Mundial de Saúde (OMS), realizada em 1948. Desde 1950 que o dia 7 de abril é celebrado, com o objetivo de relembrar a importância da saúde global e da necessidade de combater as desigualdades nesta área, que é acima de tudo um direito humano.

Este ano, a OMS aproveitou esta efeméride para lançar a campanha “É altura de construir um mundo mais justo e saudável para todos, em todo o lado”. Através de várias ações a organização apela à equitatividade no acesso à saúde, através de comunidades e economias mais justas, verdes e saudáveis. Como a própria enfatiza, “a saúde é um direito e não um privilégio”.

“O custo da COVID-19 é tão alto que exige que façamos as coisas de maneira diferente: que nos comprometamos com a construção de um mundo mais justo e saudável, levando a equidade na saúde muito mais a sério do que antes – e enfrentando de frente os fatores sociais e económicos que causam iniquidades na saúde”, defende a OMS em comunicado.

Num documento publicado hoje pela mesma, que remete para esta temática, a organização defende ainda cinco ações que os governos e organizações internacionais devem tomar:

  1. Acesso equatitativo às vacinas, aos testes e aos tratamentos da COVID-19 em todos os países;
  2. Investimentos e planos de recuperação pós-COVID-19 que protejam e priorizem os setores de saúde e sociais;
  3. Serviços e infraestruturas equatitativos em todas as comunidades – urbanas e rurais;
  4. Cuidados de saúde primários fortes para toda as pessoas, em todo o lado;
  5. Melhorar a recolha de dados e a comunicação para que os países saibam onde estão a desigualdades de saúde e possam abordá-las melhor.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...