Espanha não cumpriu nenhuma das metas mundiais de biodiversidade na última década

Espanha não cumpriu nenhum dos 20 Objetivos de Aichi entre 2011 e 2020, acordo assinado por 193 países em 2010 que buscava conservar e restaurar a biodiversidade até 2020, de acordo com relatório publicado esta quinta-feira pelo Observatório de Sustentabilidade (OS).

O Acordo de Aichi, assinado na cidade japonesa com o mesmo nome, inclui um Plano Estratégico de Diversidade Biológica, que possui um conjunto de 20 metas agrupadas em 5 grandes objetivos e cujo objetivo geral é o combate à perda da biodiversidade.

O estudo da OS mostra que o mais preocupante é o aumento da utilização de fertilizantes e produtos fitossanitários na agricultura, o avanço das infraestruturas e o aumento de espécies exóticas invasoras.

Segundo a OS, um dos objetivos que está “mais perto do seu cumprimento” é a declaração dos espaços protegidos, que “já representa quase 40%”, mas “muitas vezes é apenas no papel e sofre planeamento e interconexão entre eles ”.

Outro desafio que está para ser alcançado tem a ver com o objetivo número 19, que “aconselha um aumento do conhecimento de base científica”, mas “continuam a haver lacunas muito grandes em grupos taxonómicos inteiros como, por exemplo, em insetos ou em dinâmicas de outros grupos, ou na relação e impactos das alterações climáticas nas populações.”

O relatório revela que existem mais 7 das 20 metas em “situação estacionária”, que têm a ver com a eliminação ou reforma de incentivos prejudiciais à diversidade biológica, a implementação de planos para alcançar a sustentabilidade na produção e no consumo ou reduzir ou totalmente parar a taxa de perda de todos os habitats naturais, entre outros.

Numa situação “mais preocupante”, indica o estudo, estão 10 dos 20 objetivos, como a sensibilização em massa da população para o valor da diversidade biológica, a integração da biodiversidade nas estratégias e processos de planeamento nacionais, que aconselha as áreas destinadas à agricultura e a silvicultura gerida de forma sustentável e conservando a diversidade ou aquela que trata do controlo de espécies exóticas.

Dos 20 objetivos, o M18 surge numa “situação muito preocupante” e diz respeito ao respeito pelos conhecimentos, inovações e práticas tradicionais das comunidades locais relevantes para a conservação e uso sustentável da diversidade biológica.

O relatório recomenda que Espanha atue de “forma clara e transparente” na melhoria da biodiversidade para “compensar a década de atrasos e avanços na sua destruição num cenário de alterações climáticas” como o atual.

Da mesma forma, aconselha “iniciar um sistema claro, transparente e atualizado de avaliação e prestação de contas sobre as ações da recomendação anterior”.

Além disso, afirma que o Estado espanhol, no final da trajetória do processo de Aichi com metas e objetivos claros e bem definidos sobre a biodiversidade, “não aplicou nem mostra evidências de ter tomado as medidas necessárias para atingir um determinado grau do cumprimento dessas metas ”.

Espanha é um país com uma “grande biodiversidade”, com “tradições ligadas ao meio ambiente” e com “uma riqueza ecológica e paisagística incalculável”, para a qual “são necessários esforços para proteger e promover a biodiversidade”, sublinha o relatório.

*Com Agência EFE

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...