Estádio de Leiria é “o maior problema da autarquia”

Lembra-se desta nossa sugestão? Recordamo-la hoje porque, esta semana, o presidente da Câmara Municipal de Leiria afirmou que a Leirisport, empresa que gere o estádio municipal, é o “maior problema” da autarquia.

Segundo a imprensa portuguesa, Raul Castro terá admitido mesmo a extinção desta empresa, que gere outras infra-estruturas desportivas do concelho.

Recorde-se que o Estádio Municipal de Leiria foi um dos 10 que foram construídos (ou remodelados) para o Euro 2004.

“[Assumo] todos os cenários. [A empresa] absorve muito dinheiro daquilo que é de todos”, explicou o presidente da Câmara de Leiria, remetendo uma decisão para depois de ser conhecido o resultado do estudo sobre o melhor modelo de gestão dos equipamentos desportivos municipais.

De acordo com cálculos efectuados pelo Green Savers, e com base apenas no que foi veiculado pela imprensa, ao todo foram investidos 323,5 milhões de euros nos dez estádios do Euro 2004, sendo que, exceptuando os estádios da Luz, do Dragão e Alvalade XXI, os restantes sete se encontram cronicamente vazios, acumulando despesas de manutenção elevadas.

Entretanto, a imprensa inglesa anunciou há dias que o Chelsea se prepara deixar o estádio de Stamford Bridge, onde joga há 105 anos, e mudar-se para o actual centro de exposições de Earls Court.

Segundo o The Guardian, o dono do clube, o milionário Roman Abramovich, está preocupado com o facto dos outros clubes estarem a construir estádios maiores – e melhores.

Recorde-se que o Arsenal mudou-se recentemente para um novo estádio, optando por tornar o “velhinho” Highbury numa zona residencial sustentável – onde o jardim central é o antigo relvado.

Veja uma reportagem sobre o novo Highbury.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...