Estas são melhores opções para acabar com o desperdício plástico, dizem os especialistas

 

Temos assistido a inúmeras iniciativas para restringir o uso de plásticos descartáveis. Reduzir os sacos, as embalagens e mais recentemente a eliminação das palhinhas plásticas.
No entanto, algumas medidas dividem os especialistas, pois criam novos problemas, além de, muitas das vezes, confundir as pessoas.

Por exemplo, a troca das palhinhas de plástico por pequenos copos, solução que é apresentada muitas vezes, não é mais do que substituir um problema por outro.

As garrafas de água é outro excelente exemplo de como resolver um problema criando outro. Muitas das marcas optaram por trocar o plástico por vidro. Os especialistas da revista cientifica Pesquisa FAPESP alertam para o facto do vidro aumentar a emissão de dióxido de carbono no transporte (é um material mais pesado) comparativamente ao plástico, assim como a destruição da fonte de matéria-prima advinda dos depósitos de areia.

A investigação ressalta a importância de avaliar a troca do plástico por outros materiais, considerando a pegada ambiental e energética de cada substituto.

Uma outra questão colocada na investigação é a implementação da logística reversa, nas qual os fabricantes responsabilizam-se por recolher as embalagens após o consumo e enviá-las para a reciclagem.

Porém, a indústria do plástico discorda desta alternativa argumentando a mesma elimina a responsabilidade dos consumidores. Segundo os especialistas, o ideal é manter a responsabilidade partilhada, onde cada um faz a sua parte para evitar que o plástico continue a poluir o meio ambiente.

Artigos recomendados