Estudo: turbinas eólicas não colocam em risco população de aves. Mas a sua construção, sim.

A grande maioria de população de aves pode co-existir com as actuais infra-estruturas de produção de energia eólica, de acordo com um estudo publicado esta semana pelo Journal of Applied Ecology.

O estudo rejeitou que as turbinas eólicas possam causar problemas de longo prazo à população de aves, mas encontrou novas provas que evidenciam que a construção destes parques eólicos traz problemas a algumas espécies.

O estudo teve em conta os impactos das infra-estruturas eólicas em 10 das principais espécies de aves britânicas, incluindo algumas que sofrem, actualmente, com uma diminuição da sua população, e concluiu que elas podem co-existir com as turbinas. No entanto, há que repensar a fase de construção.

Leia o estudo.

“[O estudo] demonstra que pode haver um impacto significativo na fase de construção, por isso a construção no local certo é absolutamente chave. Mas o estudo também demonstrou que as turbinas não são trituradoras de pássaros. Não há nenhum impacto no girar da lâmina”, explicou Martin Harper, director de conservação da RSPB.

O estudo foi desenvolvido por quatro naturalistas e ornitólogos da RSPB, da Scottish Natural Heritage e da BTO (British Trust for Ornithology).

“Foi uma surpresa para nós verificar que o impacto dos parques eólicos acontece na fase de construção e não na operação em si”, comentou James Pearce-Higgins, principal ecologista do BTO.

Leia também o artigo do The Guardian, mas mais informações sintetizadas do estudo (em inglês).

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php