Filipinas constrói escola a partir de garrafas de plástico

A cidade de São Paulo, nas Filipinas, inaugurou uma nova escola que tem a particularidade de ter sido construída a partir de garrafas de plástico de 1,5 e 2 litros, que são colocadas entre adobe.

A escola foi planeada e construída pelo empreendedor social Illac Diaz e pela MyShelter Foundation, contou com a ajuda de vários voluntários locais e foi depois doada às autoridades de São Paulo.

De acordo com o Inhabitat, também as garrafas foram doadas especificamente para este projecto. Já a escolha de adobe para unir as garrafas foi justificada pelo facto deste material ser mais barato que o cimento – e cerca de três vezes mais forte.

Esta não é a primeira escola construída a partir de garrafas de plástico. Há seis projectos semelhantes na Guatemala, por exemplo, sendo que neste País estão já a ser preparados outros quatro.

Na primeira escola, que foi construída em Granados, foram utilizadas perto de seis mil garrafas de plástico para pôr de pé duas salas de aulas.

A construção da escola respondeu a um método inovador, criado pela Pura Vida, que consiste no enchimento de garrafas de plástico com lixo inorgânico e colocá-las entre arames – típicos das capoeiras – e cobertas de cimento. Assim, e para além das seis mil garrafas de plástico, foram utilizados ainda 930 quilos de lixo e 4.400 quilos de cimento.

Hoje, 297 crianças vão a esta escola, que custou, no total, pouco mais de sete mil euros.

Veja outros projectos de escolas construídas a partir de garrafas de plástico. E também o projecto Save The Beach Hotel.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php