Fish and chips, o famoso prato inglês pode estar em risco. Tudo por causa das alterações climáticas

Fish and chips, o famoso prato servido em todos os pubs ingleses pode ter os dias contados. Pelo menos é o que defende um relatório publicado ontem pela ong WWF, que alerta que a subida da temperatura da água do mar pode, muito em breve, comprometer a população de bacalhau, ingrediente de eleição nesta iguaria tão apreciada em terras inglesas.

O relatório, lançado dias antes do Earth Hour, evento de protecção ambiental organizado à escala mundial, avisa que o bacalhau, bem como uma série de outros ingredientes, pode ver o seu sabor sofrer alterações, consequência das alterações climáticas. No limite, as alterações climáticas poderão ameaçar o fornecimento ou fazer disparar o valor económico de vários ingredientes-chave no fish and chips, obrigando-nos a procurar outras alternativas, conta o The Guardian.  

O cenário pintado por esta organização de defesa ambiental não é animador: galinhas alimentadas a algas, tudo porque a produção de soja não aguenta as cada vez mais elevadas temperaturas e constantes mudanças no padrão de precipitação. Ingredientes como arroz, tomate, cebolas e tantos outros, poderão sofrer aumentos de preços e escassez como resultado das constantes flutuações do tempo.

O que podemos então fazer para evitar este cenário dantesco? Para a WWF tudo começa com pequenos gestos que conseguimos encorpar sem dificuldade no nosso dia-a-dia, mas com elevado impacto ambiental. Evitar o uso de talheres de plástico, usar garrafas reutilizáveis ou reduzir a quantidade de carne ingerida são algumas sugestões fáceis de pôr em prática.

“A ameaça a estes pratos clássicos, alerta-nos para o impacto que as alterações climáticas terão em todos os aspectos da nossa vida, se não agirmos já”, alerta Gareth Redmond-King, responsável pela pasta da energia e clima na WWF inglesa. “É exactamente por isso que queremos que as pessoas se alimentem de forma mais sustentável. E isso não tem necessariamente de significar uma opção vegan ou vegetariana: basta que cada um de nós reduza um pouco a quantidade de peixe, carne e lacticínios que ingere regularmente. Pequenos gestos individuais podem ganhar dimensão global e juntos conseguimos combater as alterações climáticas e preservar os nossos pratos preferidos”, diz Gareth com esperança.

Em paralelo com a Hora do Planeta surge a iniciativa One Planet Plate, uma campanha que quer colocar a sustentabilidade como elemento imprescindível nas ementas dos mais conceituados restaurantes. O projecto é também uma oportunidade de ouro para chefs e aprendizes de cozinheiros mostrem aos apaixonados por comida como a sustentabilidade pode ser o ingrediente mais apetecível.

Foto: christelle kebbouh / flickr