Fome em Moçambique agravou-se nos últimos dois anos

As reservas alimentares em Moçambique estão a esgotar-se, sendo só suficientes para este mês, devido a factores como inundações e seca, de acordo com a Angola Press. Desde 2009, a situação de insegurança alimentar só tem piorado no país, tendo aumentado 80%, para 350 mil pessoas afectadas.

Houve produção, mas, devido à seca, não foi possível colher produtos suficientes, outras culturas foram dadas como perdidas devido às cheias. A situação é grave nas províncias do centro e sul do país, sendo que Maputo e Zambézia têm reservas suficientes para responder às necessidades da população até à próxima sementeira, que decorrerá em Dezembro.

Para contrariar os números, o governo moçambicano está a apostar na disseminação do uso de tecnologias de conservação e processamentos de alimentos, para diminuir as perdas. Além disso, as populações ameaçadas pela fome estão a ser observadas e estão a receber fertilizantes para que a próxima época agrícola possa vir a ter melhores resultados.

Deixar uma resposta

1 comment

  1. CONVITE – LANÇAMENTO DO VIVRO – MAPA DOS BAOBÁS DO BRASIL
    PROJETO BAOBÁ
    O Projeto Baobá surgiu em dezembro de 2008 através do seu idealizador com os seguintes objetivos:
    1. Levantamento Florístico das espécies de Baobás em Pernambuco;
    2. Monitoramento;
    3. Produção, doação e venda de mudas;
    4. Oficinas;
    5. Manutenção dos Baobás centenários.
    Produção de mudas
    Em janeiro de 2009 iniciou a produção de mudas com o intuito de preservação da espécie.
    Levantamento Florístico
    Para identificar as espécies dos exemplares centenárias e os demais jovens baobás, ainda em 2009, foi preciso muita determinação, pois neste ano, ainda como motorista de transporte público, Gilberto J. S. Vasconcelos não mediu esforços, contou com a sua aguçada intuição. Apesar de iniciar as atividades, sozinho e com recursos oriundos do fruto do seu trabalho, acreditou que o Projeto Baobá iria produzir muitos frutos.
    Em 2009 iniciou uma implacável procura por publicar sua ideia através da internet, mesmo sem ter o mínimo de experiência nessa área, decidiu que também conseguiria atingir mais um objetivo (disponibilizar aos internautas) toda sua pesquisa sobre este gigante vegetal. Hoje tenho orgulho e nenhuma modéstia em afirmar que o Projeto Baobá é referência no Brasil em se tratando dessa magnífica árvore.
    Oficinas
    Sempre que solicitado, atendeu a inúmeros pedidos para apresentação em colégios públicos e privados, como produzir mudas de baobás. Mesmo desprovido, inclusive de divulgação visual, com todo apego e boa vontade, levou ao conhecimento de milhares de pessoas: Frutos, sementes, mudas e plantio. Nenhum valor foi cobrado por essas atividades.
    Manutenção dos Centenários Baobás
    A maioria dos Baobás centenários que foram localizados e registrados pelo Projeto Baobá está em total abandono.
    A preservação da espécie é de suma importância, pois se trata de uma espécie que tem fortes evidências de elo com trafico de escravos para o Brasil.
    Vale apena lembrar que o Brasil foi construído pela mão-de-obra escrava. Resta-nos preservar esta árvore, considerada sagrada pelos Africanos, que até hoje sofrem as consequências da triste realidade vivida pelos seus antepassados.
    Como conseguir recursos?
    Seguindo o lema de São Francisco de Assis, “É DANDO QUE RECEBEMOS”, este projeto teve a atenção da mídia impressa e televisiva por adotar atitudes simples como: recolher do lixo, garrafas pet, colher sementes, cultivar mudas e gratuitamente entregar para adoção a quem lhe procurara. Daí inúmeros simpatizantes da “MÃE DAS ÁRVORES” contribuíram financeiramente com o Projeto Baobá, apesar de não fazer nenhuma campanha pra arrecadar doações.
    Em junho de 2011 finalizou depois de percorridos mais de 7.000 km, o levantamento dos Baobás de Pernambuco e Rio Grande do Norte, com localização geográfica e logradouro. Resultou em um livro, com o título mais que apropriado, MAPA DOS BAOBÁS DO BRASIL. O livro também publicará os baobás encontrados em: Maceió – AL; Cuiabá – MT; Fortaleza – CE; Rio de Janeiro – RJ; Ilha de Paquetá – RJ e Quissamã – RJ. Este livro tornará público todas as atividades do Projeto Baobá. No entanto a história de Pernambuco, do Rio Grande do Norte, da escravidão no Brasil, também destaca o super fruto do baobá. Os experimentos e pesquisas com técnicas de germinação e produção de mudas serão abordados.
    A RENDA POR OCASIÃO DO LANÇAMENTO NO DIA 29 DE SETEMBRO SERÁ DESTINADA A CONFECÇÃO ARTESANAL DE RESERVATÓRIO DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE, PAÍS, ONDE 350.000 PESSOAS SOFREM COM A FOME E A SEDE. ESSE É O COMPROMISSO DO AUTOR.
    ENDEREÇO: FIEPE – AV CRUZ CABUGÁ – (ESQUINA COM AV. NORTE)
    Em nome de todos os colaboradores do Projeto Baobá, faço um apelo, que estudem a possibilidade de apoiar esta iniciativa prestigiando o lançamento desta obra inédita no Brasil, e se possível, comprem um livro. Tenha certeza de que o valor arrecadado será de fato doado.
    O idealizador do Projeto Baobá é o primeiro brasileiro a localizar e registrar em um livro, mais de 90% de todos os baobás encontrados no Brasil.
    Certo da vossa atenção
    Aguardamos ansiosamente o vosso pronunciamento.
    Gilberto J. S. Vasconcelos – autor do livro – e equipe, amigos dos Amigos do Meio Ambiente.

Patrocinadores

css.php