Greenpeace protesta contra “desmantelamento ambiental” no Brasil

A organização não-governamental Greenpeace realizou esta terça-feira, 17 de Agosto, um protesto pacífico em frente ao Congresso Nacional brasileiro para denunciar o “desmantelamento” das leis de proteção ambiental no Brasil, onde a desflorestação tem crescido nos últimos anos.

Durante o protesto, os ativistas simularam a entrega do prémio “Motosserra de ouro 2021” ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, a quem acusaram de dar proteção no Legislativo às propostas contra do meio ambiente do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que chegou ao poder em janeiro de 2019, momento em que a desflorestação e queimadas da Amazónia voltaram a atingir recordes.

Segundo a Greenpeace, o presidente da Câmara dos Deputados tem contribuído para o “projeto de destruição ambiental de Bolsonaro” ao trabalhar pela aprovação de diversas medidas contra o meio ambiente, entre elas um projeto de lei que flexibiliza a regularização e posse de terras públicas ocupadas ilegalmente.

“Arthur Lira é um grande aliado do Governo Bolsonaro e está comprometido em viabilizar a agenda de destruição ambiental que resultará em mais desflorestação, mais incêndios e mais violência contra as populações rurais e indígenas”, disse Thais Bonvarte, porta-voz da Greenpeace Brasil.

O Brasil registou 8.712 quilómetros quadrados de alertas de desflorestação entre agosto de 2020 e julho de 2021, o que representa uma queda de 5,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, mas a segunda maior taxa anual dos últimos seis anos, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) brasileiro.

Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.