Há um forte envolvimento do crime organizado internacional no tráfico de rinocerontes



As instâncias de aplicação da lei a nível mundial devem abordar o tráfico de chifres de rinoceronte como uma forma de crime organizado internacional. Esta foi a principal mensagem deixada no webinar conjunto organizado pela World Wide Fund for Nature da África do Sul e pela Comissão de Justiça sobre a Vida Selvagem para assinalar o “Dia Mundial do Rinoceronte de 2022”.

O webinar centrou-se na análise do tráfico de chifres de rinocerontes, em África, durante a última década com o objetivo de se perceber a atual ameaça à espécie em 2022 e assegurar uma resposta global, proporcional e devidamente orientada para as necessidades atuais.

Pelo menos 7,5 toneladas de chifres de rinocerontes foram apreendidas nos últimos 10 anos

Segundo a WWF, pelo menos 7,5 toneladas de chifres de rinocerontes foram apreendidas globalmente nos últimos 10 anos. O peso médio das remessas aumentou acentuadamente após 2017 e esta tendência continuou durante toda a pandemia da COVID-19. Este aumento “aponta potencialmente para um maior envolvimento de grupos de crime organizado e para a sua capacidade de transportar maiores volumes de produtos através da cadeia de abastecimento”.

Sarah Stoner, Diretora de Inteligência da Comissão de Justiça da Vida Selvagem, disse que há provas irrefutáveis que apontam para o envolvimento do crime organizado internacional como um fator-chave da caça furtiva e do tráfico de chifres de rinocerontes.

A corrupção foi também considerada como um fator crucial para todas as formas de crime contra a vida selvagem, já que ajudam as operações criminosas a adquirir e movimentar chifres de rinocerontes ao longo da cadeia de abastecimento, minando o sistema de justiça criminal.

Rinocerontes brancos eram 11,8% menos em 2021 do que em 2017

Os rinoceronte-negros aumentaram 3% por ano entre 2017 e 2021, atingindo um total de 6.195 até ao final de 2021. No entanto, é preocupante que os números dos mais numerosos rinocerontes brancos tenham diminuído para 15.942 e eram 11,8% mais baixos no final de 2021 do que os 18.067 rinocerontes brancos registados no final de 2017, declínio esse que ocorreu predominantemente nas grandes áreas protegidas geridas pelo Estado na África do Sul.

“As redes de crime organizado entrincheiradas que coordenam estes crimes ameaçam não só os rinocerontes, mas também as pessoas que os conservam e as sociedades que vivem em redor das áreas de conservação”, sublinhou Jo Shaw, responsável pelo programa da WWF Internacional para os rinocerontes africanos.

Foram caçados 9.561 rinocerontes em África nos últimos 10 anos

Durante os últimos 10 anos, 9.561 rinocerontes foram caçados em toda a África, tendo a taxa global de caça furtiva de rinocerontes diminuído de 3,9% da população continental em 2018 para 2,3% em 2021. No final de 2021, a África tinha pelo menos 22.137 rinocerontes.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.