ICNF, ISPA e Oceanário salvam cavalos-marinhos na Trafaria



No passado dia 25 de março colapsou um dos pontões na Trafaria, o que, segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), colocou em risco de vida um importante núcleo populacional de cavalos-marinhos. Assim, o Instituto decidiu emitir as necessárias autorizações para a captura do maior número de espécimes, antes da intervenção da Autoridade Portuária do Porto de Lisboa.

Ontem decorreu a operação de captura e translocação, que ficou a cargo de uma equipa de peritos do ISPA – Instituto Universitário. O Oceanário de Lisboa ficou responsável pelo seu acolhimento até à devolução na natureza.

Nesta área, encontravam-se cavalos-marinhos das espécies Hippocampus hippocampus e Hippocampus guttulatus. Embora o tamanho populacional não fosse conhecido, acreditava-se ser elevada.

De acordo com o ICNF, as espécies “têm graves problemas de conservação necessitando de medidas de proteção específicas e urgentes, o que fez com que já estejam listadas nos anexos da CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção) e no Regulamento Comunitário que aplica essa convenção na União Europeia, tendo ainda sido incluídas nos anexos do recentemente publicado Decreto-Lei nº 38/2021, de 21 de maio, que aprovou o regime jurídico aplicável à proteção e à conservação da flora e da fauna selvagens e dos habitats naturais das espécies enumeradas nas Convenções de Berna e de Bona.”



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.