Investigações em aquecimento oceânico e aranhas premiadas pela Sociedade Portuguesa de Ecologia

Investigações sobre as consequências do aquecimento da água do mar e sobre as aranhas no controlo de pragas dos olivais foram as vencedoras da edição de 2020 do Prémio de Doutoramento em Ecologia – Fundação Amadeu Dias.

Os vencedores foram hoje divulgados, em comunicado, pela Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO), organizadora da iniciativa, segundo a qual os trabalhos serão apresentados no 19.º Encontro Nacional de Ecologia, de 09 a 11 de dezembro em Viana do Castelo.

Segundo a informação da SPECO o primeiro classificado foi José Ricardo Paula, que investigou as relações entre os peixes limpadores e os seus “clientes” num contexto de alterações climáticas e aquecimento e acidificação dos oceanos.

Vanessa Mendonça foi a segunda classificada, com uma investigação sobre o funcionamento das redes tróficas (interligação de cadeias alimentares) nas poças formadas quando a maré baixa, e a sua vulnerabilidade ao aquecimento oceânico.

Jacinto Benhadi-Marín, especialista em aranhas, foi o terceiro classificado com um estudo sobre as aranhas como bioindicadores de práticas de gestão agrícola em olivais.

Os prémios são de três mil, dois mil e mil euros, respetivamente para o primeiro, segundo e terceiro classificados. Foram escolhidos entre 19 candidaturas elegíveis de doutorados com teses defendidas nas universidades de Aveiro, Algarve, Coimbra, Évora, Minho, e Nova de Lisboa e Porto.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...