Limpeza urbana e recolha de resíduos têm impacto de mais de mil milhões de euros na economia



A limpeza urbana e a atividade regulada de recolha de resíduos têm um impacto anual de 1.032 milhões de euros na criação de Valor Acrescentado Bruto (VAB) para a economia portuguesa, revelou hoje a associação que regula o setor.

“No conjunto, a limpeza urbana e a atividade regulada de recolha de resíduos indiferenciados e seletivos têm um impacto anual de 1.032 milhões de euros no VAB português, dos quais 563 milhões advêm da recolha de resíduos e 468 milhões da limpeza urbana”, refere a associação, em comunicado.

De acordo com a Associação de Limpeza Urbana – Parceria para as Cidades + Inteligentes e Sustentáveis (ALU), estima-se que os custos com a limpeza urbana em Portugal ascendam a 30 euros por habitante anualmente.

O estudo promovido pela ALU que caracteriza a importância do setor no país mostra que a limpeza urbana e a atividade regulada de recolha de resíduos envolvem 44 mil postos de trabalho.

“No caso da limpeza urbana, a mesma emprega diretamente 12 mil trabalhadores, considerando tanto o setor público como o privado, a que se juntam mais 7.500 postos de trabalho indiretos”, refere.

Contabilizado os resultados dos inquéritos realizados aos municípios e às empresas, o estudo indica ainda que o trabalhador médio é homem, tem 48 anos e sete anos de escolaridade.

Além de revelar dados quantitativos, o documento propõe uma estratégia de intervenção que promova a atividade enquanto peça fundamental para o desenvolvimento sustentável e qualidade de vida dos cidadãos.

O estudo – que é o primeiro de caracterização do setor, segundo a ALU – vai ser apresentado esta semana no III Encontro Nacional de Limpeza Urbana, em Braga.

“Os vários ‘players’ [empresas] do setor reúnem-se durante três dias para debater modelos de otimização da limpeza urbana em Portugal e traçarem perspetivas futuras”, é adiantado no comunicado.

O III Encontro Nacional de Limpeza Urbana vai realizar-se no Altice Forum Braga, entre terça e quinta-feira, reunindo autarquias de norte a sul do país e das regiões autónomas, empresas públicas e privadas do setor, a universidade e ‘players’ internacionais relevantes.

De acordo com a entidade promotora, o evento tem como objetivo debater as estratégias para uma nova era dos serviços públicos, expondo “as mais recentes inovações do setor”, entre camiões, varredoras e equipamentos de segurança.

Entre as novidades, será apresentada a primeira varredora urbana alimentada a hidrogénio, que, “além de ser uma fonte de energia limpa com zero emissões, assegura a prestação de um serviço – designadamente a limpeza de ruas, passeios e jardins – de forma mais eficiente, confiável e rentável”.

Em três dias, o III Encontro Nacional de Limpeza Urbana vai juntar mais de 30 oradores, entre os quais a secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa, que apresentará os novos documentos estratégicos do Plano Nacional de Gestão de Resíduos (PNGR 2030) e Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos (PERSU 2030).



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.