Ministro do Mar pede relação “mais inclusiva” com o oceano

O ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, apelou hoje para uma “nova forma” de relação com o oceano, que seja “mais inclusiva, limpa e ligada”, e pediu que as políticas marítimas sejam “levadas a sério”.

“Estamos numa altura em que devemos basear as políticas nas soluções que têm por base, por sua vez, os oceanos, e em que as políticas do mar têm de ser levadas a sério”, considerou o governante, no encerramento da conferência “A Blue Agenda in The Green Deal”, para deixar uma “mensagem de esperança” e uma “ambição para 2022”.

Este é um processo que a União Europeia (UE) tem de iniciar procurando “medidas transformadoras” que ajudem a cumprir o objetivo 14 da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, que se refere à proteção da vida marinha.

Ricardo Serrão Santos destacou também a importância de promover as conclusões do Conselho Europeu, em maio passado, acerca da Política Marítima Integrada e de apoiar projetos internacionais como a “elaboração de um instrumento vinculativo a nível internacional sobre direito do mar, conservação dos recursos marinhos e defesa dos recursos que estão para além das jurisdições nacionais”.

Frisando que “a Europa está intimamente ligada com os oceanos e os mares que a envolvem”, o ministrou apontou que a utilização que a UE faz deles “deve ser sustentável”.

“Porque a marinha está na base das atividades humanas. O oceano não é só importante para as atividades económicas marítimas, mas também para o bem-estar e a prosperidade da humanidade”, justificou.

O Dia Mundial dos Oceanos, celebrado hoje, permite “chamar a atenção para o oceano”, mas também melhorar o “compromisso para com um oceano mais saudável”, frisou

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...