Município cabo-verdiano da Boa Vista denuncia envenenamento de cães na via pública



A Câmara Municipal da ilha cabo-verdiana da Boa Vista vai denunciar às entidades policiais as suspeitas de envenenamento de cães, em diversas artérias da cidade de Sal Rei por cidadãos, anunciou hoje a autarquia.

Numa nota de imprensa, a Câmara Municipal da Boa Vista informou que tomou conhecimento de casos suspeitos de envenenamento de cães, em diversas artérias da cidade de Sal Rei por cidadãos, cuja identidade e o tipo de veneno são desconhecidos.

A autarquia da segunda ilha mais turística de Cabo Verde, depois do Sal, garantiu que “nada tem a ver com esta prática repugnante, injustificável, desumano e indigno”.

“A atual equipa camarária, liderada por Cláudio Mendonça, desde o início da sua tomada de posse assumiu, nitidamente, uma posição de defesa dos direitos dos animais e de adoção dos métodos mais adequados e aceitáveis de administração da população canina”, frisou.

A autarquia deu conta ainda que desde agosto tem estado engajada na organização de atividades em prol da melhor gestão da população canina no município, tendo estabelecido parcerias com uma associação local e que culminou com a primeira campanha de registo de cães na ilha.

“Por isso, a Câmara Municipal informa e reforça que repudia qualquer tipo de violência e demarca-se, totalmente, destes procedimentos capazes de colocar em causa a saúde pública”, prosseguiu a autarquia, informando ainda que acionou a Delegacia de Saúde, o Ministério da Agricultura e Ambiente e as entidades policiais para averiguar a situação.

“Nesse sentido, apela-se ao bom senso da população em geral e aconselha os cuidadores a protegerem os seus animais”, terminou a nota de imprensa.

Em Cabo Verde, são frequentes casos de morte de cães e gatos por envenenamento na via pública, particularmente, na cidade da Praia, o que tem levado a reações e queixas das associações de defesa desses animais.

Um caso mais recente e mediático acontece em dezembro de 2021, na capital do país, em que o Movimento Civil das Comunidades Responsáveis (MCCR) denunciou que uma grande quantidade de cães e gatos morreram por envenenamento e foram colocados em espaços públicos por cidadãos desconhecidos e apresentou uma queixa à Polícia Judiciária.

O MCCR é um movimento da sociedade civil que tem levado a cabo um conjunto de ações para apoiar a gestão ética e sustentável da população canina e tem sido uma voz ativa e interventiva para o bem-estar animal e contra os maus-tratos em Cabo Verde.

Associações de defesa dos animais estimam a existência de cerca de 20 mil cães de rua e nas ruas da cidade da Praia, representando um problema, devido ao barulho, sobretudo à noite, por vasculharem contentores de lixo, atacarem pessoas e enfrentarem riscos de doenças, atropelamento e maus-tratos, algo que se estende a várias outras ilhas e municípios.

Em fevereiro, a diretora da fundação da Fundação Brigitte Bardot elogiou, na Praia, as mudanças na gestão da população canina em Cabo Verde, pediu envolvimento das autoridades e considerou que isso vai melhorar a imagem do turismo no arquipélago.

“Cabo Vede tem feito um bom trabalho e estamos muito felizes pelas mudanças de políticas para começar uma estratégia para os cães de rua. É algo que aplaudimos”, disse Brigitte Auloy.

Na mesma altura, o presidente da Câmara Municipal da Praia, Francisco Carvalho, sublinhou a “postura totalmente diferente” na gestão da população canina e felina, garantindo várias medidas para evitar matanças e apostar na sensibilização.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.