Não são ervas daninhas: são plantas e têm nome

Ao passear numa zona urbana é possível observar várias plantas a crescer não só nos parques, como entre a calçada das ruas e nos passeios. Atualmente, vários países europeus estão a aderir a um movimento para dar mais vida e enaltecer estas espécies desvalorizadas por muitos.

O “Sauvages de ma rue” (selvagens da minha rua) surgiu em França em 2011, através do Museu de  História Natural de Toulouse, com o objetivo de mudar a perceção que as pessoas têm das plantas na cidade. Em 2017 o país aboliu o uso de pesticidas em espaços públicos, o que levou ao crescimento das ervas nas ruas, porém, ao invés do público se preocupar em arrancá-las, procurou adaptar-se à sua presença. Desde essa altura que têm sido realizados eventos de consciencialização e investigações aliadas à ciência.

O botânico Boris Presseq, do Museu de Toulouse, explicou ao jornal The Guardian “Eu queria chamar a atenção para a presença, para o conhecimento e para o respeito destas plantas silvestres nos passeios. As pessoas que nunca tiraram tempo para observar estas plantas dizem agora que a sua visão mudou.”

O projeto “More Than Weeds” (mais do que ervas daninhas) surgiu agora no Reino Unido, através de Sophie Leguil, e procura identificar a flora que existe nas cidades com giz, escrevendo os nomes no pavimento. Nas redes sociais explica-se a sua importância e pede-se a aderência de mais cidadãos e  organizações, para maior valorização da biodiversidade urbana.

O movimento, que valoriza estas plantas esquecidas, já se espalhou por outros países na Europa, como em Espanha, Alemanha, Suiça e nos Países Baixos, com a hashtag #MoreThanWeeds.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...