Navegar na Internet de forma ecológica e eficiente? A Quercus explica

Num contexto de pandemia, a paragem dos setores industrial e de serviços em Portugal originou um decréscimo no consumo de eletricidade, entre janeiro e março de 2020, de cerca de 15% (dados REN) e consequente redução nas emissões de 163 mil toneladas de CO2. Porém, se é expectável que a nível nacional a retração no consumo continue, no setor residencial a tendência é contrária, como já confirmaram alguns comercializadores de eletricidade.

O dever de “ficar em casa” traduz-se num número superior e em mais tempo de lâmpadas acesas, numa utilização mais frequente de máquinas de lavar, num aumento de horas a cozinhar, em gastos mais avultados em aquecimento das habitações, em mais horas de utilização dos equipamentos de entretenimento e informática. Porém, não se deve desprezar o consumo com a Internet. Quem está em recolhimento domiciliário passa, agora, muitas horas atrás de um computador, tablet ou telemóvel, em atividades como teletrabalho, formação e compras online, pesquisa de notícias, séries, jogos ou simplesmente nas redes sociais. E, de facto, o tráfego na internet aumentou consideravelmente, chegando a quase 70%, segundo dados das operadoras de telecomunicações.

Dados referentes a 2018 atribuem às TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) entre 5% a 9% do consumo de eletricidade global e preveem um crescimento, até 20%, em 2030. E, comparativamente, as emissões de CO2 também irão aumentar. Considerando toda a infraestrutura da internet que permite a transmissão de dados digitais, desde os servidores até ao utilizador final, se diariamente forem enviados dez emails de um megabyte e feitas pesquisas, ao fim de um mês a emissão de CO2, de todo o processo, corresponderá a cerca de nove quilogramas. Este valor é equivalente às emissões produzidas numa viagem de automóvel, de Lisboa à Ericeira.

A Quercus sugere, por isso, alguns conselhos simples para que continue a navegar, mas da forma mais eficiente, ao nível energético e de emissões. Assim, recomendamos, sempre que possível:

  • em vez de enviar anexos nos e-mails, se disponível, adicione a hiperligação do documento;
  • antes de enviar um documento, verifique se há possibilidade de reduzir o seu tamanho (por exemplo diminuindo a resolução das suas imagens);
  • avalie o conteúdo do e-mail ou mensagem que tenha recebido, antes de a reenviar a todos os seus contactos;
  • anule a subscrição de newsletters que não têm interesse para si;
  • apague os e-mails que já não são necessários e não se esqueça de, regularmente, esvaziar a “reciclagem”;
  • caso saiba o endereço eletrónico do site que pretende consultar, insira-o diretamente, em vez de passar pelo motor de pesquisa;
  • quando faz uma pesquisa, use as ferramentas dos motores de pesquisa para reduzir o número de páginas sugeridas e otimizar o seu tempo;
  • aproveite as ferramentas do telemóvel para bloquear as aplicações que correm em segundo plano e elimine as que já não usa;
  • e por último, não se esqueça de desligar da corrente todos os aparelhos eletrónicos quando já não precisar deles, anulando, assim, os consumos de standby e off-mode e poupando na carteira e no ambiente!
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...