Noites de maio serão mais brilhantes com Super Lua, cometas e planetas visíveis a olho nu

A chuva de meteoros Eta Aquarids, marcada para o dia 6 de maio, é a primeira chuva do ano com origem do Cometa Halley. O Cometa Halley é o causador destas chuvas de meteoros porque, na sua passagem pelo Sistema Solar, deixou vários fragmentos que, quando entram na Terra, a cerca de 240.000 quilómetros por hora, dão lugar a incríveis estrelas cadentes (meteoros). A chuva de meteoros deste mês é, então, conhecida por produzir meteoros em forma de bola de fogo, muito brilhantes, originados por estes fragmentos.

Já a Super Lua de maio de 2020 ocorrerá no dia seguinte, quinta-feira, dia 7, quando a Lua se encontra simultaneamente em fase de Lua Cheia e a uma distância da Terra inferior a 110% do perigeu da sua órbita. Às 11h45 (hora de Lisboa) estará em fase de Lua Cheia, tendo já atingido o perigeu na quarta-feira dia 6 às 03h02 (a 359653,77 quilómetros da Terra).

Por outro lado, Mercúrio será visível ao anoitecer a partir do dia 10 na constelação de Touro. Encontra-se na direção Noroeste.  A sua magnitude no inicio do mês varia de -1,7 a 0,0. Segundo o Observatório Astronómico de Lisboa, Vénus será visível ao anoitecer na constelação de Touro. Encontra-se na direção Noroeste.  A sua magnitude no inicio do mês varia de -4,5 a -3,6.

Marte será visível durante a madrugada na constelação de Capricórnio, movendo-se depois para a constelação de Aquário, a sua tonalidade avermelhada auxiliará a sua identificação. No dia 15, Marte estará a 3°N da Lua pelas 3h. Encontra-se na direção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês varia de 0,4 a 0,0.

Júpiter será visível durante a madrugada na constelação de Sagitário. Encontra-se na direção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês varia de -2,3 a -2,6. Saturno será visível durante a noite na constelação de Capricórnio. Encontra-se na direção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês varia de 0,6 a 0,4.

No dia 14, a Lua atinge o quarto minguante. Nesse mesmo dia, antes do nascer do Sol, há uma autêntica linha reta de objetos do Sistema Solar no céu, a começar na Lua, passando por Júpiter, Saturno e terminando em Marte.

No dia 20 de maio deverá poder observar o Cometa C/2019 Y4 (ATLAS). Este cometa tem um brilho que pode tornar-se visível a olho nu. Tem magnitude menor do que 8 e por isso, se estiverem fora das grandes cidades,  é possível vê-lo no céu através de binóculos.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...