O mistério da cor mais desejada. Porque é que há tão poucas flores azuis?

Há uma razão pela qual as orquídeas e as rosas azuis parecem falsas quando as vemos nas floristas ou nos supermercados.

O azul não é uma cor natural, são flores brancas que obtêm a cor de um corante usado por criadores de plantas. De facto, o azul é uma cor pouco frequente na natureza. Menos de 10% das 280.000 espécies de plantas com flores produzem espécimes azuis.

Mas, pela primeira vez, um grupo de cientistas diz que modificou geneticamente uma flor – um crisântemo – para produzir uma tonalidade azul. “Crisântemos, rosas, cravos e lírios são as principais plantas floriculturais, mas não existem na coloração azul”, disse ao Gizmodo Naonobu Noda, principal autor do estudo e cientista da Organização Nacional de Pesquisa em Agricultura e Alimentos do Japão. “Nenhum destes tipos de flores é capaz de gerar flores azuis de maneira natural.”

Os investigadores utilizaram genes de duas outras plantas produtoras de flores azuis, as ervilhas-borboleta (Cunhã) e Sinos de Canterbury, e misturaram esses genes com crisântemos. Como o Gizmodo relata, a cor resultante foi o trabalho de “co-pigmentação”, uma interação química intra-flor que eles esperam que também ajude a tornar outras flores populares azuis.

Porque é o azul visto com pouca frequência nas flores?

“Não há pigmento azul verdadeiro nas plantas, portanto as plantas não têm uma maneira direta de criar uma cor azul”, afirmou Lee. “O azul é ainda mais raro na folhagem do que nas flores,” adicionou. “Apenas um punhado de plantas tropicais sub-históricas tem folhagem verdadeiramente azul.”

O verdadeiro desafio do azul é o comércio hortícola, onde há um intenso interesse comercial na base química das flores azuis da natureza. Muitos de nossos jardins favoritos e flores cortadas, como rosas e tulipas, não produzem flores azuis. Mas o mercado solicita muito essa cor.

Os químicos conseguiram usar a delfinidina, o pigmento que torna delfínios e violas azuis, para fazer uma rosa púrpura, mas ainda não conseguiram fazer uma rosa verdadeiramente azul, indicou Lee. O mesmo se aplica aos cravos, acrescentou.

O método usado pelos horticultores para obter flores verdadeiramente azuis é diferente da abordagem de corante usada nas orquídeas. Eles estão a utilizar a biotecnologia para realizar algo incomum no comércio de viveiros, desafiando o que a Mãe Natureza descobriu sobre a biodiversidade eras atrás. O azul não se desenvolveu como uma cor comum durante o processo de seleção natural.

Lee criou uma apresentação que apresenta a clubes de jardinagem e outros grupos, de forma didática, que intitulou “A dificuldade de ser azul”.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...