O primeiro espectáculo pirotécnico do ano do vulcão Etna (com FOTOS)

O Monte Etna entrou em erupção na última semana, expelindo plumas de cinza vulcânica. Contudo, a actividade vulcânica – a primeira do ano – não foi suficientemente forte para evacuar as aldeias nas imediações do monte. A única perturbação foi o cancelamento e desvio de voos no aeroporto de Catania, o mais movimentado da Sicília e um dos mais utilizados em Itália.

A maior parte da actividade vulcânica foi registada do lado sudeste do vulcão, onde se abriu uma nova fissura que permitiu a escorrência de pequenos rios de lava e a emissão de cinza vulcânica.

O Monte Etna ergue-se a 3,4 quilómetros acima do nível do mar, pairando sobre toda a ilha de Sicília. O Etna está activo há milhares de anos, embora a sua erupção dos tempos modernos date de 475 A.C. O poeta romano Virgílio chamou às erupções do Etna na sua obra um “rugido de chuva terrível”.

As erupções raramente são perigosas. No entanto, podem provocar mortes. O episódio mais mortífero do Etna ocorreu em 1669, quando uma série de explosões matou 20.000 pessoas e destruiu a cidade de Catania. Porém, depois da erupção, os agricultores mantiveram-se na área, já que as erupções tornam os solos férteis.

Mais recentemente, em 1992, o Etna voltou a ameaçar a Sicília, quando rios de lava escorreram em direcção a Zafferana, uma cidade de 7.000 habitantes. Numa operação excepcional, os exércitos italiano e norte-americano utilizaram explosões controladas para desviar as correntes de lava, refere o Daily Mail.

As erupções do Etna são do tipo estromboliano, causadas pelo gás que fica preso no magma em fusão no subsolo. Quando a pressão exercida pelo gás é muito grande, dá-se uma explosão e ascendem à superfície gazes, cinza e piroclastos.

[nggallery id=758 template=greensavers]

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...