Para que servem as conferências? (com VÍDEO)

Há alguns anos, António Santos estava numa conferência quando ouviu um orador estrangeiro dizer que estranhava que a ponte 25 de Abril, ainda que extraordinária, não tivesse uma ciclovia ou passagem pedonal.

A ideia nunca mais saiu da cabeça de António, ao ponto de, vários anos depois, o português estar na génese da AlmaLisboa, uma iniciativa que pretende criar uma ciclovia e passagem pedonal numa das mais incríveis infra-estruturas de Portugal, a ponte 25 de Abril.

À partida, trata-se de uma ideia simples. Não é necessário a vinda de um orador estrangeiro, certamente, para perceber as potencialidades da ponte para os modos suaves. Mas a verdade é que, por vezes, um olhar diferente coloca questões que, de tão óbvias, nunca nos lembraríamos.

Segundo António Santos, a ideia tornaria Lisboa numa cidade mais moderna e apetecível – para os seus moradores e turistas – para além de contribuir para a sustentabilidade ambiental e dos transportes.

A ciclovia e passagem pedonal poderiam utilizar o tabuleiro do comboio, sem prejudicar nenhuma circulação: automóvel ou do próprio comboio. “É um pecado não aproveitarmos o espaço disponível. Ele serve para as pessoas se deslocarem e aumentar a mobilidade nos modos suaves. E serve para a própria estrutura de manutenção e conservação da ponte utilizar as duas vias para efectuarem os seus trabalhos”, explicou o responsável ao Economia Verde.

Ainda que a ideia esteja longe de ser concretizada, a verdade é que na génese desta esteve uma conferência onde alguém viu, desinteressadamente, mais além. Já viu o que pode aprender nas conferências que, todos os dias, decorrem em Portugal?

Foto:  Jeffrey / Creative Commons

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...