Philip Morris International recebe ‘Triple-A’ do CDP pelo quarto ano consecutivo



Pelo quarto ano consecutivo, a Philip Morris International (PMI), da qual a Tabaqueira é subsidiária em Portugal, recebe a distinção Triple-A por parte do Carbon Disclosure Project (CDP), uma organização ambientalista global sem fins lucrativos, que reúne as empresas com melhor desempenho e transparência em termos de sustentabilidade em todo o mundo, informou em comunicado.

Segundo a mesma fonte, a PMI recebe, assim, nota máxima (A) pela sua agenda e ação nas três áreas avaliadas: clima, florestas e água – ficando posicionada no TOP 10, a nível mundial, entre as 400 empresas analisadas para a Climate A List.

“Refletindo o seu compromisso com a transparência e o desempenho em termos de sustentabilidade, a PMI tem mantido a sua posição na Climate A List do CDP, nos últimos 10 anos, à medida que a empresa avança rumo à transformação do seu negócio, tendo a ciência como pilar, bem como o compromisso com a neutralidade carbónica até 2025 e diminuição de emissão de gases de efeito estufa (GEE) até 2040”, acrescenta a nota.

No domínio das florestas, este é o quarto ano consecutivo que a PMI recebe nota máxima, sendo ambição da companhia chegar a zero desflorestação até 2030. No tema da água, a PMI recebe nota A pelo quinto ano consecutivo, estando a trabalhar para conseguir atingir os seus objetivos de gestão deste recurso, que incluem otimizar 10 milhões de metros cúbicos de água nas suas explorações de cultivo de tabaco até 2030.

“O reconhecimento externo de organizações como o CDP motiva-nos a continuar a nossa jornada de transformação e a reforçar o compromisso com a sustentabilidade. Estamos satisfeitos que a PMI tenha recebido a distinção ‘triple-A’ do CDP pelo quarto ano consecutivo”, disse Scott Coutts, Vice-presidente senior do grupo para as operações. “Os relatórios claros e transparentes do nosso progresso também nos ajudam a encontrar novas oportunidades de ação, identificar e enfrentar riscos crescentes e de a anteciparmo-nos a mudanças regulatórias e políticas.”

A PMI está também motivada a adotar as recomendações da Task force on Nature-related Financial Disclosures [Divulgações Financeiras relacionadas com a Natureza – TNFD] e pretende publicar o seu primeiro relatório alinhado com esta entidade no exercício de 2025. Assim, a PMI faz parte do grupo inaugural de organizações que pretendem tornar-se Early Adopters do TNFD.

“Reconhecemos a urgência de enfrentar as alterações climáticas e de proteger a biodiversidade e, é por isso, que a nossa estratégia de descarbonização e o seu progresso estão intimamente ligados à preservação dos ecossistemas naturais”, disse Jennifer Motles, Administradora Executiva de Sustentabilidade da PMI. “Orgulha-nos muito sermos um dos primeiros a adotar a estrutura TNFD e reportaremos sobre isso mesmo já em 2025, o que tem por base o trabalho que já fizemos para incorporar riscos e oportunidades relacionados com o clima na nossa estratégia global de negócio, seguindo as recomendações da Task Force on Climate-related Financial Disclosures [Divulgações Financeiras Relacionadas com o Clima – TCFD]”.

Em Portugal, segundo o Relatório de Sustentabilidade 2022 da Tabaqueira, subsidiária da PMI, observou-se um decréscimo de 43% no consumo de energia da operação fabril, desde 2010 e registou-se uma redução de 75% das emissões carbónicas comparativamente a 2010. A Tabaqueira é certificada PAS 2060, que assegura a neutralidade carbónica da fábrica da Tabaqueira (incluindo emissões de CO2 compensadas). Registou-se igualmente uma consistente redução do consumo específico de água (um corte de 45% face a 2010), incluindo a recertificação Alliance for Water Stewardship da fábrica, que atesta as boas práticas na gestão deste recurso.





Notícias relacionadas



Comentários
Loading...
viagra before and after photos what to expect when husband takes viagra