Planeta Terra está prestes a capturar uma nova mini-lua. Mas apenas durante seis meses

Planeta Terra está prestes a capturar uma nova mini-lua. Mas apenas durante seis meses

Um “asteroide” recém-descoberto pode se tornar uma nova mini-lua para o Planeta Terra. Em vez de um asteroide comum, há especialistas que suspeitam que seja um foguete perdido da missão Surveyor 2, lançado da Terra há mais de 50 anos.

Um objeto espacial aproxima-se do Planeta. Apelidado de “2020 SO”, este objeto está prestes a tornar-se uma nova “mini-lua” para a Terra, capturado pela gravidade mais poderosa do nosso planeta.
Os modelos de órbita mostram que tanto a baixa velocidade quanto a trajetória do objeto que se aproxima indicam que a Terra irá capturá-lo, temporariamente, de outubro de 2020 até maio de maio de 2021.

Esta não será a primeira vez que a Terra captura uma mini-lua, mas este objeto é incomum e talvez não seja um asteroide comum. Alguns especialistas suspeitam que pode ser um foguete perdido, originalmente lançado da Terra há mais de 50 anos.

Em 17 de setembro de 2020, astrónomos avistaram o objeto a aproximar-se da Terra, utilizando o telescópio Pan-STARRS1 de 1,8 metros em Maui, Havaí. Foi designado como asteroide 2020 SO e adicionaram-no como um asteróide Apollo no JPL Small-Body Database.

No entanto, o 2020 SO tem alguns recursos que o diferenciam dos asteroides comuns. De acordo com os cálculos da NASA / JPL, o objeto passará pela lua da Terra a uma velocidade de 3.025 km/h ou 0,84 km por segundo. Esta é uma velocidade extremamente lenta para um asteroide.

Estes cálculos também mostram o aparente “asteroide lento” orbitando o sol a cada 1,06 anos (387 dias). A baixa velocidade relativa, junto com a órbita semelhante à da Terra, sugere que pode ser um objeto artificial que pode ter sido lançado do nosso planeta.

Paul Chodas, gestor do centro de Objetos Perto da Terra da NASA no Laboratório de Propulsão a Jato em Pasadena, Califórnia, sugeriu que o objeto poderia ser o foguete impulsionador do Surveyor 2, uma espaçonave robótica que foi lançada para a Lua em 20 de setembro de 1966.

A missão do Surveyor 2 tinha como objetivo enviar a segunda sonda lunar do programa American Surveyor para explorar a lua. A nave espacial Surveyor 2 explodiu no espaço no topo de um foguete Atlas LV-3C Centaur-D de Cape Kennedy, Flórida. Uma falha de correção no meio do curso fez com que os controladores espaciais perdessem o contato com a nave três dias depois, após um propulsor não acender. A falha fez com que a espaçonave tombasse e, por fim, caísse perto da cratera lunar de Copernicus.

O objeto que se aproxima da Terra tem um tamanho estimado entre 6 a 14 metros, uma combinação razoável para as dimensões de um Atlas LV-3C Centaur-D (aproximadamente 12 metros).

Os cientistas esperam que outras observações, assim como da luz refletida da superfície de “2020 SO” permitam saber se é de facto uma rocha espacial estranha e lenta ou detritos espaciais feitos pelo homem.

Esta não é a primeira vez que a Terra captura uma mini-lua.

O espaço está repleto de pequenos asteroides. De vez em quando, uma dessas rochas espaciais é capturada, temporariamente, pela gravidade do nosso planeta antes de ser lançada de volta ao sistema solar. Duas mini-luas confirmadas são 2006 RH120 (em órbita da Terra entre 2006 e 2007) e 2020 CD3 (na nossa órbita entre 2018 e 2020).

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...