Plataforma Algarve Livre de Petróleo criada este mês

Sete entidades e associações portuguesas acabaram de criar a Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP), que pretende alertar a população desta região para os riscos inerentes à exploração de hidrocarbonetos na costa algarvia.

“Segundo notícias saídas na imprensa nacional e regional, o início das primeiras perfurações será já para este ano de 2015, o que confere em nosso entender uma gravidade extrema a esta decisão política, uma vez que os cidadãos do Algarve não foram informados, nem consultados, neste processo que afectará decisivamente as suas vidas”, explica a plataforma.

As sete entidades que participam no projecto são a Glocal Faro, Movimento Algarve Livre de Petróleo, Quercus, Almargem, New Loops, SPEA e Peace and Art Society.

“A Plataforma Algarve Livre de Petróleo está aberta à participação e ao envolvimento de todos os cidadãos da região e do país que queiram juntar-se na defesa de um Algarve Sustentável e contra a exploração de petróleo na região”, explica a plataforma em comunicado.

Segundo a PALP, não houve qualquer debate público sobre as consequências para a região de uma tomada de decisão desta natureza. “Não há conhecimento de qualquer estudo de impacto social e ambiental. O silêncio e o secretismo político à escala governamental, regional e local sobre este assunto é ensurdecedor. Nada se conhece do contrato entre o Estado e as empresas de exploração petrolífera. Os algarvios foram postos à margem neste processo”, continua.

A plataforma solicitou reuniões com os executivos municipais, de modo a expor com maior clareza as suas preocupações, e avança que “vê com muita apreensão o futuro da região”.

Foto: Luis Ascenso Photography / Creative Commons

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...