Poluição por microplásticos no Mar Mediterrâneo pode ser superior à estimada



A poluição por microplásticos no Mar Mediterrâneo pode ser superior à estimada, revela uma nova investigação. Segundo o Instituto de Ciência e Tecnologia Ambiental, da Universidade Autónoma de Barcelona (ICTA-UAB), este apresenta níveis de poluição idênticos aos da Grande Ilha de Lixo do Oceano Pacífico, e a grande quantidade de lixo acumulado fez com que fosse intitulado mar europeu mais poluído pelo Instituto Francês de Investigação e Exploração do Mar.

Os dados sugerem que existem 84 mil microplásticos por quilómetro quadrado na superfície do Mediterrâneo, cerca de 300 microplásticos por cada quilo de sedimentos marinhos e 59 microplásticos por cada quilo de areia de praia. No entanto, existem falhas: das 3 mil amostras recolhidas nos últimos dez anos, 82,8% foram retiradas apenas em zonas costeiras, e as redes de malha com 200 micrómetros usadas para retirar amostras na superfície da água não apanhavam as partículas menores. Outro dos fatores a ter em conta é a contínua fragmentação do material, que se vai tornando cada vez mais pequeno e dividido. Por último, os métodos utilizados para quantificar este problema estão em constante evolução e não são eficientes para abranger todas as áreas onde há microplásticos e os diversos tipos de poluentes.

“Os materiais plásticos são numerosos e muito diversos, com características diferentes que dificultam a existência de uma estrutura padrão para analisá-los a todos da mesma maneira. Além disso, aditivos como os pigmentos ou os retardadores criam mais complexidade”, explica a autora Laura Simon. Como acrescenta o investigador Michael Grelaud, “Ainda existe muito pouco conhecimento sobre os mecanismos que transportam os microplásticos das águas superficiais para o fundo do mar, pelo que precisamos de mais estudos na coluna de água”.

O estudo, agora publicado na revista científica Environmental Pollution, destaca a importância de se definir um quadro comum de métodos e resultados, para que seja possível caracterizar a dispersão de poluição por plástico no Mar Mediterrâneo e os seus impactos.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.