Portugal: Emissões de gases com efeito de estufa diminuíram 2,1% em 2008

O Instituto Nacional de Estatística acabou de anunciar que a intensidade das emissões de gases com efeito de estufa diminuiu 2,1% em 2008, em comparação com o ano de 2007, com a quantidade de dióxido de carbono emitida por euro criado pela economia portuguesa a descer.

Assim, os dados do INE apontam para emissões de 579,4 gramas de dióxido de carbono por cada euro de Valor Acrescentado Bruto (VAB) em 2007, um valor que desceu para 567,1 gramas em 2008.

Se entre 1995 e 1999, segundo o INE, verificou-se um aumento no valor do potencial de efeito de estufa, entre 2000 e 2006 registou-se uma estagnação. Os anos de 2007 e de 2008 foram de decréscimo deste indicador.

“Verifica-se uma tendência para o potencial de efeito de estufa acompanhar o desempenho económico, embora de forma irregular”, diz o INE, citado pela agência Lusa.

A indústria e a energia foram os sectores que mais contribuíram para o potencial de efeito de estufa, embora tenham reduzido a sua parte. Seguiu-se a agricultura, silvicultura e as pescas.

Também as áreas de actividade que produzem essencialmente bens têm vindo a reduzir o seu contributo para o potencial de efeito de estufa.

Em relação à eficácia ambiental das famílias, a conclusão é que as emissões registam uma redução média por ano de 1,4% – de 118,5 gramas de dióxido de carbono equivalente por cada euro de despesa efectuada, em 1995, para 98,3 gramas em 2008.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...