Produtores de leite saúdam aumento do preço à produção e reclamam novas subidas

Os produtores de leite saudaram hoje o aumento do preço pago à produção anunciado pela Lactogal e Unileite, desafiando as restantes indústrias e a distribuição a “acompanhar”, de forma a subir em seis cêntimos o preço médio em Portugal.

Em comunicado, a Associação dos Produtores de Leite de Portugal (Aprolep) considera “positivo” o anúncio da Lactogal de aumento de 1,5 cêntimos por litro de leite à produção, a partir de 01 de outubro, e a decisão da Unileite de aumentar em um cêntimo o preço pago aos seus produtores em São Miguel, nos Açores, a partir da mesma data.

“São decisões no bom sentido, apesar de chegarem muito atrasadas e serem insuficientes face ao aumento brutal do custo das rações que os produtores suportam desde o início de 2021 e face ao aumento do custo da eletricidade que começam agora a suportar”, sustenta.

Neste contexto, a Aprolep desafia agora “os restantes compradores de leite a aumentarem o preço ao produtor num valor superior aos anunciados, para que o aumento chegue a todos os produtores”.

O objetivo, salienta, é que seja “possível, de forma progressiva, mas rápida, aumentar em seis cêntimos o preço médio ao produtor em Portugal”, valor que diz corresponder atualmente ao diferencial do país face aos custos de produção e à média comunitária.

“Temos em Portugal empresas de laticínios especializadas em produtos de valor acrescentado e grupos que controlam todo o processo, desde o produtor até ao consumidor, e que por isso terão certamente condições para responder de forma rápida e positiva à exigência de um preço justo para a produção de leite que temos vindo a apresentar”, argumenta a associação.

Adicionalmente, a Aprolep diz continuar “à espera de uma resposta pública e efetiva das cadeias de distribuição”, cuja “colaboração” considera ser essencial para atualizar o preço ao produtor para os valores apontados.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.