Programa Re-Source apresenta projetos que vão tornar a reciclagem mais eficaz



Sistemas de gestão de resíduos, rótulos com tinta magnetizável e ecopontos inteligentes, isto e muito mais está a ser desenvolvido através de  parcerias entre empreendedores, empresas e entidades nacionais e internacionais, no âmbito do programa Re-Source. A iniciativa é promovida pela Sociedade Ponto Verde e gerido pela consultora de inovação colaborativa Beta-i

Durante quatro meses, 13 parceiros e 20 empreendedores de 10 países, incluindo Portugal, começaram a desenvolver projetos-piloto focados em aumentar as taxas de reciclagem de embalagens de vidro, alumínio e plástico junto dos consumidores e dar origem a novas soluções para categorias específicas de resíduos.

Entre os projetos já a serem testados ou em implementação está o RecySmart, ecopontos inteligentes para tornar a reciclagem num hábito divertido, criados em conjunto pela startup espanhola Recircula, a Ovo Solutions, a Câmara Municipal de Mafra e a Cascais Ambiente. Os criadores estão a transformar ecopontos em máquinas que permitem a uma pessoa inserir embalagens de vidro ou plástico, ECAL (tetrapack) e latas de alumínio e receber pontos e prémios que depois podem ser usados em serviços e produtos nos dois municípios. No seguimento do projeto, serão instalados ecopontos inteligentes no concelho de Cascais e Mafra nos próximos seis meses.

Para combater a falta de estrutura para reciclar embalagens multicamadas e os impactos negativos que esta lacuna tem para as marcas, os inovadores da espanhola FYCH estão neste momento a trabalhar em conjunto com a Nestlé, a TRATOLIXO e a Sociedade Ponto Verde para implementar nos recicladores do Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens (SIGRE) a sua tecnologia de delaminação para separar as várias camadas de materiais destas embalagens e potenciar a sua reciclagem. Em parceria com a Lusoforma, a mesma startup testou também a sua tecnologia na reciclagem da tampa dos produtos de alumínio take away, obtendo resultados de separação de 100%.

Por sua vez, a startup norte-americana Magnomer está a criar um piloto com o Super Bock Group, que consiste em criar rótulos com tinta magnetizável, para que estes consigam ser mais facilmente separados do plástico e permitir uma melhor reciclagem das embalagens – uma solução que pode aumentar até 20% os níveis de reciclagem. A TRATOLIXO será parceira nos testes de triagem destas embalagens.

De forma a monitorizar o ciclo de vida da embalagem, a startup escocesa Reath juntou-se à Sociedade Ponto Verde e à Super Bock Group para criar um passaporte digital a colocar em produtos físicos. Esta solução permitirá fornecer às empresas e consumidores dados sobre a usabilidade e período de vida de uma embalagem, bem como sobre que produtos são colocados no seu interior.

Para criar um esquema de devolução e recompensas de depósitos digitais na zona do Porto, a startup inglesa Polytag associou-se à Lipor, Tratolixo e Sociedade Ponto Verde. Utilizando a tecnologia Polytag Describe, Tag and Trace, a solução irá primeiro etiquetar os produtos com identificadores únicos, permitindo depois ao consumidor digitalizar os códigos com uma aplicação propositadamente construída e reclamar os seus depósitos no conforto das suas casas. As embalagens serão eliminadas através do seu sistema normal de contentores de lixo ou contentores comuns, criando um esquema de devolução de depósitos mais barato, conveniente e eficaz na área.

Por fim, os inovadores da inglesa MyResonance estão a trabalhar em conjunto com a Lusoforma e a Lipor para implementar em Portugal uma rede social que usa técnicas de gamificação para capacitar as organizações a comunicar, promover e envolver as suas comunidades a tomar medidas coletivas em torno de iniciativas baseadas em ESG, transformando cada pessoa em embaixadores da marca e construindo uma presença e identidade online para promover um mundo mais limpo.

“Este programa deixanos especialmente orgulhosos – quer seja pela sua importância, quer pela necessidade de inovar e promover um país e um mundo mais limpo e verde. Os desafios atuais da gestão de resíduos são complexos e, por isso, acreditamos que apenas juntos conseguimos resolvê-los.”, afirma Manuel Tânger, Co-Founder e Head of Innovation da Beta-i.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.