Projeto ‘Reconecta-te à Natureza – as aves fazem mais do que cantar’ sensibiliza para a importância da avifauna

O projeto ‘Reconecta-te à Natureza – as aves fazem mais do que cantar’ da organização não governamental de ambiente (ONGA) Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural, tem como objetivo sensibilizar a comunidade para serviços de ecossistemas fundamentais prestados pela avifauna, nomeadamente o de controlar pragas, reciclar nutrientes, limpar habitats, aumentar a produtividade agrícola e promover o crescimento florestal, com o propósito de informar sobre a sua importância e papel vital.

Em simultâneo, a ONGA quer alertar para os problemas que têm provocado o declínio de várias espécies de aves associadas aos ecossistemas agrícolas. Estudos recentes alertam que 39% de um universo de 170 espécies de aves comuns encontram-se atualmente em acentuado declínio populacional, sobretudo aquelas que ocorrem em habitats agrícolas. Em Portugal, a situação é especialmente dramática para espécies com as quais estamos habituados a lidar no nosso dia-a-dia, espécies comuns, que afinal já não o são. É o caso do pintassilgo (Carduelis carduelis), da andorinha-daschaminés (Hirundo rustica) e da rola-brava (Streptopelia turtur), esta última com uma diminuição populacional de 80% nos últimos 15 anos.

Este projeto, financiado pelo Fundo Ambiental e aprovado em outubro de 2020, tem como área de intervenção os municípios abrangidos pela Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes (CIM-TTM), e visa também capacitar os cidadãos, oferecendo ferramentas que lhes permita intervir de forma sustentável no capital natural presente nesta região, através de materiais lúdicopedagógicos-informativos e ações de formação. O propósito é alterar comportamentos e promover o envolvimento da comunidade, potenciando uma cidadania ativa, participativa e informada, em prol da sustentabilidade ambiental.

O projeto tem como foco dois grupos de avifauna: os passeriformes e as aves de rapina. No caso dos passeriformes, irá abordar os serviços que estes prestam para os ecossistemas associados a hortas, pomares e florestas; e, no que se refere às rapinas, as ações incidirão sobre espécies diurnas ligadas ao habitat das searas, tendo o tartaranhão-caçador (Circus pygargus) como espécie bandeira, e noturnas, associadas às quintas, apresentando como espécie de destaque a coruja-das-torres (Tyto alba).

Durante o projeto serão produzidos materiais diversificados para diferentes plataformas digitais e suportes impressos. O público-alvo é a população em geral, a comunidade escolar e os agricultores, em específico. Vídeos, mupis, cartazes, kits e conteúdos pedagógicos para os docentes abordarem as temáticas do projeto em contexto escolar, sessões de sensibilização, conversas informais e um webinar são alguns dos materiais e ações que integram este projeto.

O declínio das populações de aves selvagens leva a uma diminuição preocupante dos seus serviços para os ecossistemas, afetando o seu equilíbrio e manutenção, e gerando consequências nefastas para os habitats, a biodiversidade e para as comunidades e o seu bem-estar.

“Sensibilizar e educar para a conservação da avifauna, através de uma relação pedagógica, de proximidade e cooperação, é a chave para assegurar um futuro sustentável a nível local, regional e global, e para preservar a relação de benefício mútuo do binómio Homem-Natureza”, defende a Palombar.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...