Proteções naturais contra aumento do nível do mar trazem mais benefícios, indica estudo



O desenvolvimento de projetos de conservação e restauração natural para combater o aumento do nível do mar traz até oito vezes mais benefícios que as soluções convencionais, indica um novo estudo da Universidade de Stanford.

A investigação analisou três cenários de adaptação para combater este problema em São Francisco, nos Estados Unidos: a construção de diques, a reabilitação de salinas e a adição de uma praia em frente ao dique, e a aposta na proteção dos pântanos e na restauração de pradarias marinhas e de camas de ostras.

“Os nossos modelos mostram como as comunidades podem ter mais benefícios à medida que investem mais na natureza”, afirma a cientista Anne Guerry, Chief Security Officer do Projeto Capital Natural da Universidade.

Os resultados indicam que a terceira solução, em que os projetos estão alinhados com a recuperação e proteção do meio natural, trazia a mesma proteção que as restantes, bem como trazia ainda outros benefícios. Algumas vantagens passam pela redução da poluição das águas pluviais, pela mitigação das alterações climáticas graças à captura de carbono da atmosfera, e pela oportunidade de criar habitat para espécies-chave – neste caso, para a ave local Rallus obsoletus.

De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC), o aumento do nível do mar era de 1,4 milímetros por ano entre 1901 e 1990, tendo aumentado para 3,6 milímetros por ano entre 2006 e 2015. A principal causa é a atividade humana, que potencia as alterações climáticas.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.