Proteger 4% dos oceanos pode salvar a maioria das espécies marinhas

A regra 80/20 diz que, na maioria dos casos, podemos conseguir 80% do resultado com apenas 20% do esforço. De acordo com a conceituada Proceedings of the National Academy of Sciences, a regra aplica-se na perfeição à protecção das espécies marinhas.

Das 129 espécies de mamíferos marinhos do planeta, incluindo focas, golfinhos e ursos polares, cerca de um quarto estão à beira da extinção. A maior destes, porém, poderia ser salva se conseguíssemos proteger apenas 4% dos oceanos do Planeta.

Para chegar a esta conclusão, os investigadores sobrepuseram mapas nos quais cada espécie marinha pode mais facilmente viver e reproduzir-se. Depois, chegou a nove locais em que a biodiversidade é riquíssima. Segundo o Treehugger, foi a primeira vez que investigadores chegaram a estas conclusões.

Assim, foram identificados 20 locais-chave de conservação. Protegendo apenas nove destes – representando 4% do total de oceanos do mundo – conseguiríamos proteger o habitat de 84% de todas as espécies marinhas da terra. Estes nove sítios estão localizados nas costas da Baja Califórnia (México), este do Canadá, Peru, Argentina, noroeste de África, África do Sul, Japão, Austrália e Nova Zelândia.

“É importante proteger os mamíferos marinhos, se queremos proteger os ecossistemas do oceano funcionais”, explicou Paul Ehrlich, co-autor do estudo e professor de biologia no Woods Institute for the Environment, em Stanford.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...