ProTEJO denuncia situação de lodo verde no Rio Tejo

O ProTEJO – Movimento Pelo Tejo acaba de denunciar a situação que se observa atualmente na bacia hidrográfica do Rio Tejo. O rio está coberto de lodo verde, apresentando um mau estado ecológico, que pode prejudicar os ecossistemas aquáticos.

De acordo com o movimento e com o jornal espanhol El Periódico Extremadura, o lodo vem de Espanha, mais propriamente da barragem de Alcántara. Os dados do Ministério da Transição Ecológica espanhol evidenciam que a albufeira se encontra com uma disponibilidade hídrica muito abaixo da média esperada para a época, tendo apenas 44% da sua capacidade.

“A culpa? O esvaziamento das barragens de Alcântara e Valdecañas em julho para produzir energia hidroelétrica por parte da Iberdrola”, afirma a ProTEJO. De facto, as descargas ocorridas nas duas barragens foram alvo de várias críticas em Espanha, tendo inclusive a Junta da Estremadura pedido explicações acerca do sucedido.

Em comunicado à imprensa, a Iberdrola Espanha afirmou que “o Tejo é um rio sujeito a grandes pressões demográficas que, somadas a outras causas alheias à gestão hidroeléctrica, como a utilização de fertilizantes, fazem com que a água contenha uma grande quantidade de matéria orgânica”. Trata-se por isso, segundo a empresa, de “um processo natural e recorrente que se desenvolve quando esta matéria orgânica se decompõe. Devido à direção do vento, este ano está armazenado na cauda da albufeira de Alcántara”.

Relativamente à situação vivida em Portugal, a ProTEJO alerta que o “Ministro do Ambiente e Ação Climática João Pedro Matos Fernandes também deve fazer cumprir a Convenção de Albufeira quanto à qualidade das águas vindas de Espanha de modo a existir um bom estado ecológico das massas de água do rio Tejo”, sublinhando que “O Tejo merece melhor”.

O movimento partilhou ainda na sua página um vídeo que retrata a situação observada na Barragem de Belver, em Ortiga, da autoria de Arlindo Consolado Marques:

Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.