Qual a primeira reserva natural de Portugal continental? (com VÍDEO)

Nem as Dunas de São Jacinto, nem as Berlengas ou o Estuário do Tejo: o Sapal de Castro Marim, em Vila Real de Santo António, foi a primeira Reserva Natural criada em Portugal continental, a 27 de Março de 1975.

E foram várias as razões que estiveram na origem da criação da reserva: desde o interesse biológico da zona, nos seus múltiplos aspectos ecológico, botânico, ornitológico  e ictiológico (de peixes), o valor arqueológico do aglomerado urbano de Castro Marim (onde persistem vestígios de ocupação pré-histórica, fenícia, romana, árabe e cristã), a alta sensibilidade da área e a sua capacidade influenciadora de factores económicos regionais: a pesca, salinicultura e o turismo.

“É uma das mais importantes zonas húmidas de Portugal, um misto de estuário, sapais, charcos, salinas e pastagens”, explica Sara Campos, da Querus, no Minuto Verde. “A natureza encontra aqui um abrigo privilegiado”.

Na área da reserva encontram-se registadas 462 espécies de plantas, das quais se destacam, pelo seu estatuto de conservação, a Picris algarbiensis (endemismo lusitânico considerado “vulnerável”),Limonium diffusum (espécie “ameaçada”) e Beta macrocarpa (espécie também “vulnerável”).

Reconhecido pela sua importância para a reprodução de várias espécies de peixes – funciona como um viveiro natural – e como local de passagem, invernada e nidificação de numerosas espécies de aves, o sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António é uma das áreas de maior interesse ornitológico de Portugal.

O Minuto Verde é uma rubrica produzida pela Quercus e emitida aos dias úteis na RTP

Foto: Rui Ornelas / Creative Commons

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...