Qual o melhor para o ambiente? Papel ou secador de mãos?

Numa casa de banho pública, depois de lavar as mãos, tem de as secar de alguma forma. Perante a opção, qual a melhor forma de poupar o ambiente? Usar secador de mãos ou toalhetes de papel? E no que toca à higiene, qual a opção mais vantajosa?

As respostas não são simples e cada opção tem vantagens e desvantagens associadas.

Os toalhetes de papel reciclados são melhores para o meio ambiente do que aqueles feitos de papel não reciclado, mas acabam por ir parar às lixeiras porque não são, por sua vez, recicláveis – não é possível reciclar papel que já foi reciclado. Mas os secadores de mãos à base de calor usam tanta eletricidade que 98% do seu impacto não vem do fabrico, mas sim do CO2 emitido durante o uso.

As versões mais modernas dos secadores de mãos usam um jato de ar potente em vez de calor para secar. Apesar de serem muito mais ecológicos do que tanto toalhetes como aquecedores tradicionais, têm a desvantagem de espalhar as bactérias que possam existir na superfície das mãos por todo o lado, pelo que não são a escolha mais higiénica. Essa distinção vai para os toalhetes de papel.

Ainda assim, e apesar de não haver vencedores claros, o essencial mesmo é lavar as mãos e secá-las depois de utilizar o WC. As bactérias transferem-se e proliferam mais facilmente em mãos molhadas do que secas.