Redonda. Como esta ilha habitada por ratos e cabras se transformou num paraíso ecológico

A terceira ilha menos conhecida de Antígua e Barbuda, Redonda, é há muito tempo um local estratégico para a nidificação de pássaros migratórios de todo o mundo e lar de animais selvagens que não são encontrados em outro lugar do Planeta. Quando os ambientalistas pensaram pela primeira vez a ideia de remover milhares de ratos-pretos invasores e um rebanho de cabras que estavam  a ameaçar a vida selvagem da ilha, este parecia um plano descabido.

Cinco anos mais tarde, o que era um terreno árido, é atualmente um paraíso ecológico, com vegetação em abundância e populações de pássaros. O esforço começou em 2016, mas o verdadeiro sucesso do projeto só foi revelado recentemente, quando os ambientalistas fizeram a sua primeira viagem à ilha em 18 meses depois para conferir se o plano tinha dado certo.

Shanna Challenger, da organização Environmental Awareness Group (EAG), que assumiu o trabalho em parceria com o governo e agências internacionais, diz que foi um “momento de emoção”. De facto, a remoção de ambas as espécies foi um desafio. As cabras, que não estavam acostumadas com o contacto humano, foram transportadas de helicópetero para serem criadas por fazendeiros interessados nos seus genes resistentes à seca.

Já a erradicação dos ratos envolveu a tarefa meticulosa de colocar armadilhas em toda a “para garantir que apanhavamos os mais exigentes”, explica Challenger.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...